Tamanho do texto

Técnico do Corinthians preferiu dizer que "tem coisas que são de vestiário" ao ser perguntado sobre o pênalti perdido pelo atacante

Tite preferiu não condenar Pato pelo pênalti perdido contra o Grêmio
Daniel Augusto Jr/Agência Corinthians
Tite preferiu não condenar Pato pelo pênalti perdido contra o Grêmio

Danilo e Edenílson bateram mal e perderam as suas cobranças, mas Alexandre Pato foi o principal assunto nos vestiários do Corinthians após a derrota para o Grêmio na disputa por pênaltis. Após empate sem gols em Porto Alegre, a vaga nas semifinais da Copa do Brasil foi decidida em uma cavadinha mal executada pelo atacante, lance que fechou o triunfo tricolor por 3 a 2 no desempate.

Deixe o seu recado e comente esta notícia com outros torcedores

Tite acabou deixando clara a sua insatisfação, mas começou sua entrevista tentando evitar o assunto. "A gente ganha e perde junto, não faço o comentário exterior. Tem coisas que são de vestiário", afirmou. "Não falo sobre isso, não comento", acrescentou, diante da insistência no assunto.

Leia mais: Com defesa de Dida em cobrança de Pato, Grêmio elimina Corinthians nos pênaltis

Veja fotos desta quarta pela Copa do Brasil:


O gaúcho se permitiu, no entanto, um breve comentário, provavelmente uma versão bem mais leve do que Pato ouviu no vestiário. "Primeiro, é a verdade dos fatos, que todos ganham e todos perdem. Ganhar e perder têm maneiras e maneiras, jeitos e jeitos."O camisa 7 concedeu uma brevíssima entrevista na saída do campo, dizendo apenas que havia treinado a batida daquela maneira - versão não confirmada pelo goleiro Walter. Quando os jogadores deixaram o vestiário rumo ao ônibus, passou cercado por seguranças, sem falar nada.

Veja resultados e tabeela da Copa do Brasil

Técnico vê confrontos travados e com poucas chances
Nas duas partidas diante do Grêmio pelas quartas da Copa do Brasil, o ataque do Corinthians novamente passou em branco, porém também não sofreu gols. O treinador acredita que as duas equipes se neutralizaram e fizeram partidas equilibradas.

"Foram dois jogos equilibrados, com poucas oportunidades, e tudo acabou sendo decidido nas penalidades. O time não criou muito aqui, assim como o Grêmio não criou. No Pacaembu, o Grêmio não criou nenhuma oportunidade. Foram jogos equilibrados, nos quais as equipes se neutralizaram. Lá e aqui", afirmou.

A equipe alvinegra marcou apenas um gol nas últimas seis partidas que disputou. No Brasileiro, são 23 gols em 30 rodadas. Na Copa do Brasil, foram duas bolas na rede em quatro jogos. Mesmo assim, imagina Tite, tudo seria perdoado em caso de triunfo nos pênaltis em Porto Alegre."Se a gente tivesse passado, mesmo nos pênaltis, a ótica na análise seria outra: ‘Pô, enfrentou o Grêmio aqui, teve consistência, o Walter fez um grande jogo’. A análise tem que ser do conjunto, e nenhuma das equipes foi superior à outra nos 180 minutos", acrescentou.

Mas Pato errou, o Corinthians caiu, e aumentou a pressão em cima de Tite, que esteve perto de ser demitido na semana passada. Eliminado da Copa do Brasil, o gaúcho preferiu não responder se sente confortável no momento. "Eu me sinto em paz comigo mesmo. Paz comigo mesmo."

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.