Tamanho do texto

"Ele foi homem para assumir o time em uma situação crítica. Passamos dificuldades juntos. O nosso grupo se formou também por méritos dele", defende o capitão palmeirense

O zagueiro Henrique não quer perder em 2014 o comandante que liderou o Palmeiras em uma boa campanha na Série B do Campeonato Brasileiro em 2013 . Ciente de que a diretoria poderá dispensar Gilson Kleina no final da temporada, quando vencerá o vínculo do profissional, o capitão passou a discursar em prol da permanência do treinador.

Deixe seu recado e comente com outros leitores


"Ele foi homem para assumir o time em uma situação crítica. Passamos dificuldades juntos. O nosso grupo se formou também por méritos dele, que soube lidar com as situações adversas. É um técnico que tem o respeito de todos os jogadores. A gente gosta dele. É claro que a diretoria deve pensar nisso aí", avisou Henrique.

Confira classificação, tabela de jogos, artilharia e notícias da Série B

Quando é questionado sobre o assunto, Kleina adota respostas evasivas. O técnico não disfarça o seu desejo de prorrogar o contrato que tem com o Palmeiras, apesar de se conformar em seguir outro caminho se não for procurado pela diretoria.


Leia mais: Henrique já demonstra alívio com a proximidade do acesso à elite

Até mesmo os defensores de Gilson Kleina adotam um tom pessimista ao falar sobre o futuro do comandante. "A gente fica triste porque ele é uma pessoa que trabalhou pelo Palmeiras, que quis o bem do clube", disse Henrique, como se a saída do treinador já fosse algo definido.De qualquer forma, o capitão não desistiu da possibilidade de ter Kleina ao seu lado na próxima temporada. "Como já conhece o grupo, pois ficou mais de um ano aqui, ele nos ajudaria muito. O ambiente é bom, e o Kleina conta com o respeito de todos. Além disso, alguns jogadores chegarão para somar. Tomara que todos aqui se resolvam e sejam felizes", sorriu Henrique, atualmente contente com a chance de o Palmeiras ascender à Série A contra o São Caetano, no sábado, no Pacaembu.

Capitão rejeita férias antecipadas
Enquanto alguns dos principais jogadores do futebol brasileiro se unem para pleitear, entre outros, um tempo maior de descanso à classe, o zagueiro Henrique não quer saber de férias. O capitão do Palmeiras rejeitou a possibilidade de parar de trabalhar mais cedo em 2013 caso o título da Série B do Campeonato Brasileiro realmente seja conquistado com antecedência.

"Se alguém vier falar comigo sobre férias antecipadas, recusarei. Quero continuar jogando até o final da competição", avisou Henrique, garantindo que os demais titulares palmeirenses partilham do seu desejo. "Todo o mundo comentou lá dentro que não quer separar o grupo agora, depois de ralarmos o ano inteiro juntos. Vamos terminar da mesma forma. Somos uma família", bradou.