Atuação de Ceni fascina Muricy: "Melhor momento da carreira"

Por iG São Paulo * |

compartilhe

Tamanho do texto

Técnico volta a elogiar goleiro após vitória na Sul-Americana e a afirmar que ele não pode ser julgado por perder pênalti. Já dirigente diz que São Paulo aceitará qualquer decisão de Ceni

Rubens Chiri/Divulgação
Rogério Ceni fez belas defesas na vitória do São Paulo sobre a Universidad Católica

O lobby de Muricy Ramalho pela permanência de Rogério Ceni nos gramados após dezembro ganhou ótimo argumento. O goleiro teve uma atuação de gala na quarta-feira, com defesas na vitória por 4 a 3 sobre a Universidad Católica, motivando o treinador a se repetir.

Ceni deve se aposentar ou seguir jogando na próxima temporada? Comente com outros leitores

"Ele está no melhor momento da carreira. Arrebentaram com ele porque bateu (errou) pênalti, mas, como goleiro, está no seu melhor. Está experiente, chegando antes, muito forte fisicamente. As pessoas têm que rever suas opiniões", disse o treinador.

Leia mais: Rogério Ceni e Aloísio classificam o São Paulo às quartas da Sul-Americana

Embora tenha sido vazado três vezes - na primeira, em uma bola defensável, segundo ele próprio -, Ceni fez defesas de todos os tipos nas duas etapas, em Santiago. Não fosse ele - e os gols de Aloísio, Ademilson e Welliton -, o São Paulo certamente sairia derrotado e consequentemente eliminado da Copa Sul-americana. Não surpreso, Muricy voltou a sugerir que não ele se aposente tão cedo.

"Acho que ele tem que ser mais reconhecido, sinceramente, porque o que esse cara fez aqui e está fazendo é brincadeira. Eu defendo ele demais, porque eu o conheço, ele sofre para caramba com o São Paulo. Está preocupado com nossa situação", falou o técnico, voltando-se para a diretoria, que já prometeu deixar a decisão a cargo do próprio atleta.

E ainda: Rogério Ceni comemora atuação de gala 'depois de velho para o mundo do futebol'

"No futebol brasileiro, é assim. Os ídolos são esquecidos rapidamente. É muito triste. Não é justo, porque o que esse cara está agarrando... Parece que as pessoas não acreditam. Só falam de pênalti, mas ele é goleiro! Não entendo esse tipo de análise. Não concordo", criticou.


Segundo o vice-presidente de futebol do São Paulo, João Paulo de Jesus Lopes, o goleiro tem total liberdade para decidir o seu futuro. "Ele vai tomar a decisão que entender a mais conveniente para si. É uma decisão de foro íntimo. Se ele quiser renovar por um ano, seis meses, se quiser parar, se quiser uma função dentro do clube... O que ele quiser, nós vamos fazer, até como reconhecimento e retribuição por tudo aquilo que fez por nós durante todos esses anos", disse o dirigente à FOX Sports.

Enquanto isso, Ceni segue com discurso cauteloso. "Vai ser feito o que for melhor para todo mundo. O São Paulo tem ótimos goleiros. Se eu for embora, o Denis está preparadíssimo, faz tudo o que eu faço. Foram anos de convivência, trabalha com os pés tão bem quanto eu...", falou o camisa 1. 

Aloísio comemora um de seus gols dando a tradicional 'voadora' nos companheiros. Foto: APAloísio celebra gol no Chile. Foto: APAloísio dribla o goleiro para anotar o segundo do São Paulo. Foto: Getty ImagesAtacante do São Paulo em ação contra a Universidad Católica. Foto: APAdemilson tenta fazer jogada na partida em Santiago. Foto: Getty ImagesRodrigo Caio tenta desarmar o rival chileno. Foto: APJogadores da Universidad Católica comemoram gol contra o São Paulo. Foto: AP


Superação do elenco

Muricy Ramalho também elogiou o restante dos jogadores do São Paulo e falou da superação de todos depois de uma série de jogos. O time venceu  Bahia no final de semana e voltou para campo fora de casa na noite de quarta-feira: 

"Depois do jogo duríssimo na Bahia, com temperatura altíssima, dois jogadores a menos, repeti praticamente o time todo aqui. Os jogadores são muito valentes, mas não é justo jogar dessa maneira. Mas o time se superou, marcou os gols na hora certa, e o Rogério fechou o gol. Foi isso o que aconteceu", resumiu Muricy.

"Estou orgulhoso, porque, quando cheguei, a situação era muito ruim em todos os sentidos. Os jogadores realmente compraram a ideia. Tenho coragem. Assumir (o clube) da maneira que assumi não é fácil. Mas o mérito é dos jogadores e das pessoas que trabalham no CT", concluiu.

Garantido nas quartas de final da Copa Sul-americana, o São Paulo agora aguarda o vencedor do confronto entre Nacional de Medellín e Bahia. Antes disso, porém, o time paulista volta o foco para o Campeonato Brasileiro, pelo qual joga no domingo, contra o Internacional, fora de casa.

*com Gazeta Esportiva

Leia tudo sobre: muricy ramalhosão paulorogério cenisul-americanaigsp

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas