Ainda chateado, Tirone vê Palmeiras no rumo certo e nega arrependimento

Por Gazeta |

compartilhe

Tamanho do texto

Ex-presidente do Palmeiras admite a dor pela queda para a Série B, mas se disse feliz com o iminente retorno do clube à Série A em 2014

Gazeta Press
Arnaldo Tirone, ex-presidente do Palmeiras

O iminente retorno do Palmeiras à elite do futebol nacional é acompanhado atentamente por Arnaldo Tirone, que estava na presidência do clube no rebaixamento. Fora do cargo máximo da instituição há nove meses, o ex-mandatário retomou sua rotina longe dos holofotes e admite que a dor pela queda ainda não passou.

Deixe o seu recado e comente esta notícia com outros torcedores

"Claro que ainda estou chateado pelo que aconteceu. Fizemos de tudo, mas vemos hoje como acontece com times na mesma situação que enfrentamos (brigando para não cair), quando tudo que você faz vai ao contrário. Às vezes, a sorte não vem em um momento de tensão e preocupação. Você tenta acertar, e as coisas não acontecem, mas fico muito feliz pelo Palmeiras estar no caminho certo, faltando praticamente um jogo", afirmou o ex-dirigente.

Leia mais: Com início adiado, Paulistão deve ter mudança de formato

Campeão da Copa do Brasil meses antes do rebaixamento, Tirone explicou que, por ter se esforçado ao máximo para evitar a queda, não guarda arrependimentos de sua administração no clube e evita polêmicas até sobre sua ida à praia do Leblon, no Rio de Janeiro, um dia depois da confirmação da segunda divisão."Depois do que se passou, você pensa se podia ter feito alguma coisa diferente, mas, naquele momento, fizemos de tudo tentando acertar. É por isso que não me arrependo (da gestão)", afirmou o ex-dirigente, para completar. "Eu tinha um compromisso no Rio e fiquei por 15 minutos (na praia). Foi chato, mas não estava fazendo nada de mais, não estava comemorando".

Confira classificação, notícias, tabela de jogos e artilharia da Série B

Enquanto o Palmeiras se aproxima rapidamente da vaga na Série A, Tirone tenta retomar sua vida, cuidando de forma mais próxima das empresas que possui. Substituído por Paulo Nobre, que venceu Décio Perin no pleito de janeiro, o ex-presidente reconhece que levou um tempo até se acostumar à vida sem o cargo no clube.

"É outra etapa da minha vida. Quando fica fora do seu dia a dia (particular) por dois anos, você volta e estranha. Mas agora as coisas estão voltando ao normal e estou me ambientando de novo na minha rotina antiga de trabalho", acrescentou.

O Verdão pode assegurar matematicamente o retorno à elite na tarde de sábado, quando enfrentará o São Caetano, no Pacaembu, algo que não surpreende Tirone. "Eu tinha certeza de que o Palmeiras voltaria. Aquele foi um momento complicado, porque pegamos um final de Campeonato Brasileiro tendo muitas contusões no time", completou.

Leia tudo sobre: palmeirasarnaldo tironesérie bigsp

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas