Amigo de Cássio, provável substituto tem sucesso recente em pênaltis

Por Gazeta |

compartilhe

Tamanho do texto

Walter jogou contra o Criciúma, após o goleiro titular do Corinthians se machucar durante uma reposição de bola

Daniel Augusto Jr/Ag. Corinthians
Walter substituiu Cássio diante do Criciúma

Walter chegou ao Corinthians após o Campeonato Paulista e se entendeu rapidamente com Cássio. Com o amigo lesionado, ele é o favorito a substituí-lo no confronto com o Grêmio e, em caso de necessidade, espera manter seu recente histórico em cobranças de pênalti.

Comente esta notícia com outros torcedores

A vaga nas semifinais da Copa do Brasil será decidida nas penalidades se o jogo em Porto Alegre terminar empatado por 0 a 0. Aí, o goleiro de 25 anos tentará repetir o desempenho obtido no Estadual do primeiro semestre, quando ainda era o camisa 1 do União Barbarense.

"É claro que pênalti é uma loteria, mas tive três pênaltis neste ano e peguei dois. É uma média razoável, né?", afirmou Walter, que mostrou essa qualidade na derrota por 3 a 0 do Barbarense para o Corinthians, defendendo a batida de Chicão. Ele também impediu um gol do são-paulino Osvaldo na mesma situação.

Guerrero deixa treino mancando e pode ser desfalque contra o Grêmio

Walter treinou muitos pênaltis na atividade de segunda-feira, sem um grande aproveitamento, enquanto Danilo Fernandes e Julio Cesar participavam do treinamento técnico com os jogadores de linha. Depois, foram eles que tentaram a sorte em algumas penalidades, algo que será repetido na terça."Trabalhamos um pouco e vamos trabalhar mais até o jogo lá no Sul. O Mauri (Costa Lima, preparador) ficou orientando, falando para não sair antes. Também precisamos estudar os cobradores do Grêmio para sair na frente e poder pegar", comentou.

Sua inspiração está em Dida, adversário na quarta e histórico pegador de pênaltis, e no próprio Cássio. Há pouco mais de uma semana, antes de se machucar, o titular do Corinthians frustrou Rogério Ceni no finalzinho e evitou a derrota alvinegra no clássico contra o São Paulo.

"O Cássio estava fazendo coisas impossíveis. A gente tem uma amizade muito grande, começamos a nos dar muito bem em pouco tempo. Com os outros goleiros também, mas com eles é mais", disse Walter, que não chegou ao ponto de achar o amigo bonito. "Simpático ele é. O resto não sei."

Leia tudo sobre: WalterCássioCorinthianscopa do brasil

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas