Presidente acredita que permanência de Tite garante o Corinthians na elite

Por Gazeta |

compartilhe

Tamanho do texto

"Não estamos olhando para baixo, estamos olhando para cima", justificou Mario Gobbi em entrevista

Daniel Augusto Jr./Agência Corinthians
Mário Gobbi e os diretores de futebol Roberto Andrade e Duílio Monteiro Alves

A má fase no Campeonato Brasileiro poderia culminar na demissão de Tite nesta quinta-feira, mas uma reunião entre os dirigentes do Corinthians, o treinador e alguns jogadores garantiu a permanência do comandante até pelo menos o fim de 2013. Para o presidente Mário Gobbi, a decisão tomada em conjunto é fundamental para a sequência da competição nacional, na qual o risco de rebaixamento começa a virar realidade.

Comente esta notícia com outros torcedores

Questionado sobre a proximidade da degola, o mandatário não deixou de reiterar sua confiança no treinador. "O que foi traçado será cumprido, eu confio no grupo e na comissão técnica. Nós não estamos olhando pra baixo, estamos olhando para cima. O Corinthians não pode pensar olhando para baixo. O raciocínio é esse, e vamos em frente, pois temos a Copa do Brasil", disse Mário Gobbi, em entrevista para a Rádio Capital.

Com a má campanha na Série A, o Corinthians aposta no título Copa do Brasil para retornar a Libertadores em 2014. Nesta quarta-feira, o time alvinegro encara o Grêmio, em Porto Alegre, pelas quartas de final, e precisa de pelo menos um empate com gols para avançar à próxima fase.

Após garantir que Tite fica, diretor coloca Corinthians fora da Libertadores

A possibilidade de ficar longe do torneio continental, no entanto, não altera a postura do presidente com relação a possíveis mudanças no elenco para 2014. De acordo com Mário Gobbi, a política de contratações deve se manter, com a chegada de reforços pontuais para os setores com maior carência no time.

"Não haverá mudanças. No final do ano, nós vamos fechar um ciclo. O que vai acontecer é que o planejamento está praticamente pronto. Claro que o Corinthians vai trazer reforços, como todo ano fizemos, mas vamos suprir as carências do grupo e começar 2014 para vencer", explicou o mandatário corintiano.

A prioridade, para Mário Gobbi, é o ataque, que marcou apenas três gols nos últimos 13 jogos. "Temos só o Paolo (Guerrero) como pivô, precisamos trazer reforços, falta um pivô. Agora, quem vai dizer o que falta é a comissão técnica. Nenhum diretor traz jogador, exceto se pedido pela comissão", completou o presidente.

Leia tudo sobre: Mário Gobbicorinthianstite

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas