São Paulo e Corinthians fazem clássico tenso para definir quem se desespera

Por Gazeta |

compartilhe

Tamanho do texto

Separados por três pontos na tabela, rivais que se enfrentam pela sexta vez nesta temporada

Fernando Dantas/Gazeta Press
São Paulo e Corinthians se reencontram no ano

São Paulo e Corinthians fazem na tarde de domingo, no Morumbi, seu sexto confronto na temporada. O último Majestoso do ano não vale vaga em final ou troféu, como outros disputados até aqui, mas pode ser decisivo no mau Campeonato Brasileiro que fazem os rivais.

Veja a classificação, tabela de jogos, notícias e artilharia do Campeonato Brasileiro

Se houver um perdedor - algo evitado com frequência em jogos da equipe do Parque São Jorge -, ele se verá em sérias dificuldades na tabela. O time tricolor, que está apenas a um ponto da zona de rebaixamento, poderá ultrapassar o alvinegro, colocando-o definitivamente na luta contra o rebaixamento.

Empatar não é bom para ninguém, mas pior para o São Paulo, que poderá entrar na dezena final de rodadas da competição no grupo dos quatro últimos se não vencer. Para o Corinthians, somar um pontinho pela 13ª vez manterá próxima a zona do desespero e deixará a faixa de classificação à Copa Libertadores, hoje nove pontos longe, ainda mais distante.

Leia mais: Tite revê São Paulo no que pode ser seu último Majestoso e relembra sono perdido

Animado pela suado triunfo sobre o Vitória e pela surpreendente vitória sobre o disparado líder Cruzeiro, a formação dirigida por Muricy Ramalho ganhou fôlego, mas um tropeço no clássico pode jogar por terra a reação. E o treinador, baseado na experiência da recaída recente sob seu comando, sabe que precisa conter a empolgação de seu elenco.

"Temos que saber aproveitar (o bom momento), porque, às vezes, resultados como esses causam certo relaxamento, e a gente não pode relaxar agora. Temos que levar a ideia de que podemos enfrentar qualquer time de igual para igual e sempre buscar a vitória. Todo jogo tem uma história diferente, uma outra maneira de jogo, mas tem que ter isso na cabeça", receitou o comandante.

SÉRGIO BARZAGHI/GAZETA PRESS
Luis Fabiano foi relacionado para o clássico

O São Paulo mesmo pode ter outra maneira de jogo. Muricy gosta de mistério e, mais uma vez, cogitou publicamente a possibilidade de modificar o esquema tático, até porque não terá as mesmas peças de Belo Horizonte. O volante Wellington e o meia Paulo Henrique cumprem suspensão, ao passo que o atacante Luis Fabiano se livrou de dores na coxa esquerda e deve voltar ao time.

A vaga de Ganso certamente será de Jadson, mas a ausência de Wellington deixa dúvida no meio-campo, principalmente porque o zagueiro Rafael Toloi e o volante Denilson também voltaram a treinar na antevéspera e estão relacionados. Muricy pode usar Rodrigo Caio como terceiro zagueiro ou como primeiro volante. Pode, ainda, fazer uma troca simples de Wellington por Fabrício.

Leia também: Em seu último clássico, Ceni tenta salvar ano trágico contra rival Corinthians

A única certeza é o retorno de Rogério Ceni. O goleiro, que acompanhou a jogo contra o Cruzeiro no Mineirão - mesmo estando suspenso -, retoma a posição que foi ocupada momentaneamente pelo reserva Denis. Retoma também a braçadeira de capitão que, na capital mineira, esteve provisoriamente com Wellington.

Do lado alvinegro, Tite conta com a volta de Fábio Santos, que passou por cirurgia no púbis no último dia 18 e apressou o retorno pelo momento de necessidade, sobretudo em sua lateral esquerda. A má notícia é a ausência de Paolo Guerrero, que foi cortado da seleção peruana com uma fratura parcial no pé esquerdo. Sem o titular, Romarinho entrará na esquerda, e Emerson será adiantado.

Reserva no gramado ruim de Mogi Mirim, no empate sem gols com o Atlético-PR, o zagueiro Paulo André retoma seu posto na defesa, deixando Cleber no banco. Mas não é na defesa o problema do Corinthians, que vem de duas partidas de placar imaculado. O ataque tem péssimos 22 gols em 27 rodadas.

"É a falta da repetição de uma engrenagem", repete Tite, incansavelmente, lamentando os frequentes desfalques. Depois de conseguir um bom desempenho com Alexandre Pato e Guerrero no time, na vitória por 2 a 0 sobre o Bahia, ele não conseguiu mais contar simultaneamente com os dois - Pato segue na Seleção Brasileira.

Seja qual for a formação, os atletas sabem que precisam criar mais e finalizar melhor no Majestoso. Caso contrário, o atual campeão mundial, que ainda alimenta a esperança de trilhar novamente o caminho de glória do ano passado, vai se ver diretamente envolvido na luta contra o rebaixamento a um campeonato do qual não tem saudade.

Tabu em jogo

O clássico deste domingo também coloca um tabu em campo, a favor do Corinthinas. A última vitória do São Paulo sobre seu rival no Morumbi foi em 2007. Em partida válida pelo Campeonato Paulista daquele ano, os donos da casa levaram a melhor por 3 a 1, com gols de Lenilson, Rogério Ceni e Leandro. Wilson descontou para os visitantes.

Aquele foi também o último triunfo de Muricy Ramalho como técnico do São Paulo sobre o Corinthians. De lá para cá, foram 11 Majestosos disputados no Cícero Pompeu de Toledo, com cinco vitórias da agremiação do Parque São Jorge e seis empates

FICHA TÉCNICA - SÃO PAULO X CORINTHIANS

Local: Estádio do Morumbi, em São Paulo (SP)
Data: 13 de outubro de 2013, domingo
Horário: 16 horas (de Brasília)
Árbitro: Wilson Luiz Seneme (SP)
Assistentes: Danilo Ricardo Simon (SP) e Celso Barbosa de Oliveira (SP)

SÃO PAULO: Rogério Ceni; Paulo Miranda, Rodrigo Caio e Edson Silva; Douglas, Fabrício, Maicon, Jadson e Reinaldo; Ademilson e Luis Fabiano
Técnico: Muricy Ramalho

CORINTHIANS: Cássio; Edenílson, Gil, Paulo André e Fábio Santos; Ralf e Guilherme; Danilo, Douglas e Romarinho; Emerson
Técnico: Tite

Leia tudo sobre: são paulocorinthiansbrasileirão

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas