Tamanho do texto

Técnico não pode usar diversos titulares, reconhece que equipe esteve lenta na marcação no começo, mas afirma que Guaratinguetá nem assustou no segundo tempo

Palmeiras comemora gol na vitória sobre o Guaratinguetá em Londrina, na Série B
Edno Luan/Futura Press
Palmeiras comemora gol na vitória sobre o Guaratinguetá em Londrina, na Série B

O técnico Gilson Kleina reconheceu que o Palmeiras não teve um bom desempenho no início da partida contra o Guaratinguetá, na noite desta sexta-feira. Porém, o treinador advertiu que o time teve de se ajustar sem vários titulares e conseguiu se organizar durante o confronto para obter a vitória por 1 a 0 , em Londrina.

Deixe seu recado e comente com outros leitores

"Não iniciamos bem o jogo, e o Guaratinguetá estava mais forte. Nossa marcação estava lenta, mas, depois, o time se ajustou. Querendo ou não, o ritmo é diferente de quem entra. No segundo tempo, o adversário não assustou, e nossos jogadores estão de parabéns, porque foram competentes", avaliou.

Leia mais: Palmeiras faz 100º gol no ano, derrota o Guaratinguetá e amplia liderança

Nesta sexta, Kleina ainda não pôde contar com Henrique (está na seleção brasileira), Valdivia (seleção chilena) e Wesley (suspenso). Além dos três titulares, o Verdão também não teve reservas, como Tiago Alves (lesionado) e Eguren (seleção uruguaia).

Palmeiras lidera a Série B. Confira a classificação e os jogos

Com todas as dificuldades, o Palmeiras se surpreendeu com a postura ofensiva do Guaratinguetá, que depositava suas esperanças nas bolas aéreas do ex-corintiano Coelho. Kleina, inclusive, acredita que o adversário mostrou força justamente por ter atletas que passaram por clubes tradicionais, como Wendel (ex-Corinthians), Bruno Formigoni (ex-São Paulo), Saulo (ex-Santos) e Alex Afonso (ex-Palmeiras).

"Nosso meio estava batalhando, mas a bola caía nos pés do Renato Peixe e do Formigoni. Eles têm vários jogadores que passaram por equipes grandes e não sentem, mas a dificuldade foi até os 25 minutos. Depois disso, avançamos a marcação, e o Juninho e o Luis Felipe estavam participando mais nas laterais", completou.

O gol marcado pelo zagueiro Vilson aos 44 minutos do primeiro tempo determinou a vitória do Palmeiras, que quase não foi ameaçado pelo clube do interior paulista na etapa final.

Vilson lembra técnico em comemoração de gol

E se Gilson Kleina elogiou a evolção de seus jogadores em campo ao longo do jogo, o técnico também foi lembrado por seus comandados. O gol de Vilson foi o 100º do Palmeiras na temporada e, segundo o zagueiro, tem relação direta com Kleina. 

"Fiquei feliz pela marca, porque é importante também ajudar o Palmeiras a fazer gols. É mérito de todo mundo e do Gilson, porque nós trabalhamos isso e ele bate nessa tecla com o André Luiz", afirmou.

O gol saiu aos 44 minutos do primeiro tempo. Em falta da esquerda, Juninho levantou para o meio da área, onde André Luiz subiu mais do que a zaga adversária e cabeceou para Vilson chutar para as redes.

*com Gazeta Esportiva

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.