Autoridades concluíram que exame de corpo de delito não comprova a acusação de estupro da mulher de 44 anos. O caso continuará sendo investigado pela Polícia Civil

Foi concluído o inquérito que investigava a denúncia de estupro envolvendo quatro jogadores do Vitória . Nesta quinta-feira, Márcia Marcondes, delegada responsável pelo caso, afirmou que os investigadores concluíram o laudo com a certeza que nenhum abuso foi cometido contra a mulher de 44 anos, que fez a denúncia no fim de setembro. 

Deixe o seu recado e comente com os outros leitores

De acordo com os laudos do Instituto Médico Legal (IML), o exame de corpo de delito feito na suposta vítima não comprova o estupro, além de não existir índicios de violência. Apesar disso, foi encontrada uma proteína presente no semên, no entanto, a substância fica 72 horas no corpo da mulher após o ato sexual, logo não se pode comprovar se ela praticou o ato na madrugada ou antes.

Confira atletas que já tiveram problemas na justiça :


As imagens do hotel onde os jogadores estavam em Curitiba, além de depoimentos dos funcionários do estabelecimento, mostram que nada de estranho ocorreu. A suposta vítima deu check-out sem denunciar ou mencionar qualquer violência cometida no recinto. Depois de meia hora após a saída do hotel, a mulher voltou acompanhada de um homem, alegando ter sido estuprada pelos atletas. 

A Polícia Cívil do Paraná continuará a investigação do caso, para saber se a mulher e o homem estavam tentando extorquir os jogadores do Vitória, o que poderia implicar em uma pena grave para a dupla.

Entenda o caso:

Um dia após o triunfo do Vitória por 5 a 3 sobre o Atlético-PR, em Curitiba, pela 24ª rodada do Campeonato Brasileiro, quatro jogadores da equipe baiana foram acusados de estuprar uma mulher de 44 anos, no Hotel Bourbon, em Curitiba.

Segundo a versão da suposta vítima, ela estava em uma casa noturna com uma amiga, namorada de um atleta, quando se dirigiu ao hotel onde o elenco do Vitória estava hospedado. Foi neste local que o crime teria acontecido.

"Eles me estupraram. Ficaram revezando. Um saía do quarto, e outro entrava", disse a mulher, em um primeiro contato com a imprensa na entrada da delegacia.

Por volta das 6h30 (de Brasília), ela teria conseguido fugir do quarto e pedido socorro para um motorista em frente ao hotel. "Ela se jogou em frente ao meu carro, falando que tinha sido estuprada. Vi que era sério. Ela me mostrou um hematoma no peito", disse Hamilton Carvalho, que a levou para prestar depoimento.

Segundo a amiga da mulher de 44 anos, porém, não houve relação sexual entre a suposta vítima e os atletas do clube baiano.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.