Na cabeça e na vontade, Corinthians reencontra gol e vitória contra o Bahia

Por iG São Paulo * | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Com Guerrero e o estreante Cleber, time de Tite vence por 2 a 0 em Mogi Mirim e encerra sequência negativa no Campeonato Brasileiro

O Corinthians estava sem vencer no Brasileirão havia sete rodadas, período no qual balançou as redes uma única vez. Nesta quarta-feira, o ataque desencantou, e o time enterrou a sequência negativa e se reencontrou com a vitória. Com gols de Guerrero e do estreante Cleber, ambos de cabeça e no primeiro tempo, bateu o Bahia por 2 a 0 em Mogi Mirim.

Confira classificação, tabela de jogos, artilharia e notícias do Campeonato Brasileiro

Apesar dos maus resultados recentes, Tite foi prestigiado pela diretoria alvinegra, grata pelos troféus obtidos nos últimos dois anos. Boa parte do público presente no estádio Romildão fez o mesmo, gritando o nome do gaúcho, antes, durante e depois da vitória.

Confira imagens dos jogos desta rodada do Brasileirão

Sozinho, Alex faz o domínio da bola pelo Coritiba. Foto: JOKA MADRUGA/FUTURA PRESSPedro Ken tenta recuperar a bola para o Vasco, que bateu o Internacional por 3 a 1 em Macaé. Foto: Celso Avila/Futura PressWallace e André Santos comemoram gol do Flamengo. Foto: Giuliano Gomes/Gazeta PressJô marcou duas vezes na goleada diante da Ponte Preta. Foto: Yuri Edmundo/Gazeta PressJadson domina a bola pelo São Paulo marcado de perto por Alison, volante do Santos. Foto: Lucas Baptista/Futura PressThiago Ribeiro é cumprimentado pelo técnico Claudinei Oliveira após marcar gol do Santos. Foto: Lucas Baptista/Futura PressAmeaçado por Guerrero, Titi chuta a bola para frente e afasta perigo da zaga do Bahia. Foto: Fernando Dantas/Gazeta PressGuerrero comemora primeiro gol do Corinthians em Mogi Mirim. Foto: Fernando Dantas/Gazeta PressCleber sobe de cabeça para marcar gol em sua estreia no Corinthians. Foto: Miguel Schincariol/Gazeta PressJogadores do Vitória comemoram o gol de Escudero. Foto: Edson Ruiz/Gazeta PressJogadores do Goiás comemoram gol de Pedro Henrique . Foto: Edson Ruiz/Gazeta PressJuan encara a marcação do zagueiro Rodrigo em ataque do Vitória. Foto: Edson Ruiz/Gazeta PressSeedorf se antecipa e faz o domínio pelo Botafogo. Foto: Dhavid Normando/Futura PressRafael Sobis domina a bola observado por Bolivar. Foto: Nelson Perez/Fluminense. F.CBiro Biro comemora gol do Fluminense no clássico do Maracanã. Foto: Nelson Perez/Fluminense.F.CJean, do Fluminense, e Bolivar, do Botafogo, disputam lance no Maracanã. Foto: Nelson Perez/Fluminense FCRiveros aparece na cara do gol de Weverton em ataque do Grêmio. Foto: Dudu Contursi/Futura PressSouza, do Grêmio, e Delatorre, do Atlético-PR, disputam a bola. Foto: Gustavo Granata/ Agif/Gazeta PressBorges sai para comemorar após marcar gol do Cruzeiro. Foto: João Godinho/O Tempo/ Futura PressBruno Henrique escapa do carrinho e conduz a bola pela Portuguesa. Foto: Yuri Edmundo/Gazeta PressHugo marcou o primeiro gol do Náutico em Campinas. Foto: Rodrigo Villalba/Futura PressMaikon Leite é cumnprimentado após gol da vitória sobre a Ponte Preta. Foto: Rodrigo Villalba/Futura Press

Combatendo a imagem de abatimento que ficou na derrota por 4 a 0 para a Portuguesa, o treinador conseguiu fazer seu time correr e jogar bola como não acontecia fazia tempo. Se não foi uma apresentação memorável, foi suficiente para um claro domínio ser estabelecido e o placar ser definido ainda no primeiro tempo.

Bastou ao Corinthians administrar a vantagem após o intervalo para alcançar uma extremamente necessária vitória, que o deixou com 34 pontos, a sete da zona de classificação à próxima Copa Libertadores. Com 32, derrotado após cinco jogos de invencibilidade, o Bahia ficou para trás.

Fernando Dantas/Gazeta Press
Guerrero comemora primeiro gol do Corinthians em Mogi Mirim

Raça e crânio
Sem sua dupla de zaga titular, suspensa, Tite teve apostar em Felipe e Cleber. Alessandro foi improvisado na lateral esquerda, Guilherme voltou após um mês e meio, e Pato foi escalado. O camisa 7 se deu bem com Danilo, Emerson e Guerrero, envolvendo a defesa do Bahia.

Com uma disposição que saltou aos olhos, o Corinthians só precisou de um minuto para incomodar o adversário, usando a velocidade de Pato, que sofreu falta e acertou a trave na cobrança. Essa disposição esteve perto de extrapolar o limite em alguns momentos, com Edenílson e Guilherme envolvendo-se em diferentes discussões e Emerson cometendo falta dura, mas a equipe conseguiu manter a compostura.

Usando muito bem a referência de Guerrero, o time (quase) da casa se dava bem com Emerson pela direita e com a mobilidade de Pato. Ainda que sem ritmo, Guilherme fazia muito mais do que, na sua ausência, fizeram Ibson e Maldonado. E os beques reservas cumpriam seu papel, espanando as bolas que pipocavam na área.

O domínio alvinegro foi premiado aos 19 minutos, quando Emerson bateu escanteio da direita. Guilherme desviou no primeiro pau, e Guerrero apareceu no segundo, usando a arma que colocou seu nome na história do Corinthians. A alegria do atacante, que havia perdido pênalti no jogo anterior, foi demonstrada com um bico na bola na comemoração – não houve simulação de máscaras ou coreografias ensaiadas.

Com a vantagem, a equipe de Tite não recuou, como fazia mesmo nas melhores fases, nem se acovardou, recordando que o momento era terrível. Seguiu na frente e esteve perto do gol em duas boas trocas de passes, concluídas por Pato e Danilo. Aos 40, após novo escanteio de Sheik da direita, Cleber balançou a rede de cabeça e arrancou gritos de “Ti-tê!” da torcida.

Miguel Schincariol/Gazeta Press
Cleber sobe de cabeça para marcar gol em sua estreia no Corinthians

Tranquilidade e cérebro
Cristóvão Borges tentou resolver os problemas do Bahia com Rafael Miranda no lugar de William Barbio. Em vez de um homem rápido de cada lado, o time tricolor passou a ter mais força no meio de campo, mas o Corinthians continuou seguro e fazendo boas jogadas, especialmente com Emerson e Guerrero.

O Sheik correu tanto que pediu para ser substituído e deu lugar a Romarinho, ganhando muitos aplausos. Ele não era o único atleta cansado, e o jogo ficou mais arrastado, o que interessava ao time em vantagem. Obina deu sangue novo ao Bahia, aposta em dois centroavantes já que a articulação pelos lados não funcionava.

Wangler também entrou, mas o Corinthians, que tinha construído sua vantagem com raça e jogadas pelo alto, teve tranquilidade e inteligência para administrar o resultado. Guilherme e Guerrero saíram muito aplaudidos, e Pato perdeu um gol que não fez falta no jogo do alívio alvinegro em Mogi.

FICHA TÉCNICA - CORINTHIANS 2 X 0 MOGI MIRIM
Local:
Estádio Romildão, em Mogi Mirim (SP)
Data: 2 de outubro de 2013, quarta-feira
Horário: 21h50 (de Brasília)
Árbitro: André Luiz de Freitas Castro (GO)
Assistentes: Rodrigo Pereira Joia (RJ) e Fabiano da Silva Ramires (ES)
Público: 9.917 pagantes (total de 10.003)
Renda: R$ 223.758,00
Cartões amarelos: Emerson, Edenílson e Danilo (Corinthians); William Barbio, Lucas Fonseca, Feijão, Wallyson e Helder (Bahia)

Gols
Corinthians: 
Guerrero, aos 19, e Cleber, aos 40 minutos do primeiro tempo

CORINTHIANS: Cássio; Edenílson, Felipe, Cleber e Alessandro; Ralf, Guilherme (Maldonado) e Danilo; Emerson (Romarinho), Guerrero (Jocinei) e Alexandre Pato
Técnico: Tite

BAHIA: Marcelo Lomba; Mádson, Lucas Fonseca, Titi e Raul; Feijão, Helder e Marquinhos (Wangler); Wallyson (Obina), Fernandão e William Barbio (Rafael Miranda)
Técnico: Cristóvão Borges

*com Gazeta

Leia tudo sobre: CorinthiansBahiaBrasileirão

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas