Um dia após derrota para o Santos, jogadores do São Paulo escutam sermão de técnico e são observados por presidente do clube

Juvenal Juvêncio assiste a treino do São Paulo um dia após derrota para o Santos
SÉRGIO BARZAGHI/GAZETA PRESS
Juvenal Juvêncio assiste a treino do São Paulo um dia após derrota para o Santos

Começou com atraso o treino do São Paulo na tarde desta quinta-feira, um dia depois da terceira derrota consecutiva no Campeonato Brasileiro . Antes dos exercícios físicos e com bola, os jogadores ouviram cobranças do técnico Muricy Ramalho durante uma hora, em um dos campos do CT da Barra Funda.

Comente esta notícia com outros torcedores

O treinador exige outro tipo de comportamento. Na quarta-feira, após o revés por 3 a 0 para o Santos - tendo atuado com um a mais desde o fim do primeiro tempo -, ele se disse envergonhado e pediu que os atletas sejam homens neste momento de dificuldade. A equipe pode voltar à zona de rebaixamento nesta quinta-feira, em caso de vitória do Vasco.

A primeira atitude prática de Muricy Ramalho para tentar reagir no Campeonato Brasileiro foi antecipar a concentração do elenco. O próximo compromisso do São Paulo será apenas no sábado (contra o Vitória, no Morumbi), mas os jogadores passam já a noite desta quinta-feira no CT da Barra Funda.

Ao fim da dura de Muricy, todo o elenco, com exceção dos atletas que se recuperam fisicamente no Reffis, passaram a correr em volta do gramado - sob olhares do presidente Juvenal Juvêncio, que se protegia da garoa sentado no banco de reservas à beira da linha lateral, ladeado por alguns dos principais nomes da cúpula de futebol.

Confira classificação, tabela de jogos, artilharia e notícias do Campeonato Brasileiro

Faziam companhia ao mandatário: Rubens Moreno (diretor de futebol), Gustavo Oliveira (gerente executivo de futebol), José Carlos dos Santos (gerente de futebol) e Roberto Natel (vice-presidente social e de esportes amadores), além de membros da comissão técnica de Muricy, como os médicos José Sanchez e Auro Rayel.

Juvenal tem aparecido com menos frequência no dia a dia do time. Mas, como costuma frisar, não falta aos momentos em que é necessário mostrar que há comando. Nesta quinta-feira, apesar de não ter participado da reunião do treinador com o elenco, o presidente conversou informalmente com alguns poucos jogadores que encontrou ao chegar ao CT.

Torcida do São Paulo cobra o time na Vila Belmiro e avisa: "Acabou a paz"

A situação do São Paulo no Brasileiro é crítica, podendo ficar novamente entre os últimos quatro colocados a 13 rodadas do final da competição. Seu próximo desafio será às 21 horas (de Brasília) de sábado, contra o Vitória, no Morumbi.

Denilson fora

Fora das últimas três partidas do São Paulo, Denilson regrediu em sua recuperação e vai seguir como desfalque para o técnico Muricy Ramalho. Ele acusou incômodo na coxa direita e, nesta quinta-feira, voltou a fazer tratamento fisioterápico no Reffis.

O volante sofreu uma contratura no músculo posterior da coxa durante a derrota para o Goiás, em 22 de setembro. Desde então, foi desfalque em duas partidas do Campeonato Brasileiro (contra Grêmio e Santos) e no jogo de ida das oitavas de final da Copa Sul-Americana, contra a Universidad Católica.

Além dele, continuam no Reffis os zagueiros Rafael Toloi e Roger Carvalho e o lateral-esquerdo Thiago Carleto. Nenhum dos quatro tem condição de enfrentar o Vitória, às 21 horas (de Brasília) de sábado, no Morumbi, em duelo válido pela 25ª rodada da competição nacional.


* Com Gazeta

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.