Jogadores poupam Tite de entrevista e garantem emprego do técnico

Por Gazeta |

compartilhe

Tamanho do texto

Emerson e Alessandro apareceram para dar coletiva e deram apoio ao técnico, ressaltando as conquistas de Tite pelo Corinthians

Moisés Palácios/Futura Press
Emerson Sheik conduz a bola pelo Corinthians diante da defesa da Portuguesa

Durante quase uma hora, os vestiários usados pelo Corinthians no estádio Morenão ficaram trancados. Quando foram abertos, não foi Tite quem saiu. Emerson Sheik e Alessandro apareceram para dar entrevista coletiva no lugar do técnico avisando que essa foi a decisão do elenco, com eles mesmos informando que o chefe continua no clube apesar da goleada da Portuguesa e os oito jogos sem vitória.

Deixe o seu recado e comente esta notícia com outros torcedores

"Os atletas pediram ao treinador para vir conversar. Pedimos para vir conversar com vocês deixando-o fora por um motivo simples: é hora de os atletas campeões do mundo, da Libertadores e brasileiros botarem a cara e assumir a responsabilidade. Entendemos que a responsabilidade é de todos, mas quem entra para jogar são os jogadores", informou Emerson Sheik.

Leia mais: Corinthians volta a perder por quatro gols de diferença após mais de oito anos

O único dirigente que acompanhou a delegação corintiana em Campo Grande foi o gerente de futebol Edu Gaspar, e ele esteve presente na quase uma hora de vestiários fechados, protegidos por um segurança do clube logo após a vexatória atuação deste domingo. Mas, em nenhum momento, Tite deixou o cargo à disposição. Foi o que garantiu Sheik.

Confira a classificação, notícias, artilharia e tabela de jogos do Brasileiro

Luis Fabiano divide a bola com Dida em ataque do São Paulo. Foto: Wagner Carmo/Inovafoto/Gazeta PressVargas perde o equilíbrio em disputa com Osvaldo. Foto: Marcos Bezerra/Futura PressVargas comemora gol que decretou a vitória do Grêmio sobre o São Paulo no Morumbi. Foto: FERNANDO DANTAS / Gazeta PressManoel domina a bola pelo Atlético-PR observado por Dinei, do Vitória. Foto: Giuliano Gomes/Gazeta PressWilliam Henrique comemora gol do Vitória. Foto: Giuliano Gomes/Gazeta PressWillian comemora gol da vitória do Cruzeiro. Foto: VINÍCIUS COSTA/Preview.com/Gazeta PressOtávio, do Internacional, persegue Egídio em ataque do Cruzeiro. Foto: Itamar Aguiar/Futura PressMarcos Rocha festeja com a torcida após marcar gol do Atlético-MG sobre o Santos. Foto: Yuri Edmundo/Gazeta PressArouca aposta corrida com Leonardo Silva em ataque do Atlético-MG. Foto: Paulo Fonseca/Futura PressHernane comemora diante da torcida gol do Flamengo sobre o Criciúma. Foto: Alexandre Vidal/Fla ImagemLéo Moura parte com a bola dominada em ataque do Flamengo. Foto: Alexandre Vidal/Fla ImagemWilliam Barbio se antecipa a Fagner e domina a bola pelo Bahia. Foto: FELIPE OLIVEIRA/ Agif/Gazeta PressHélder é cercado por jogadores do Vasco durante ataque do Bahia. Foto: Edson Ruiz/Gazeta PressGilberto corre para comemorar após marcar gol da Portuguesa. Foto: Moisés Palácios/Futura PressEmerson Sheik conduz a bola pelo Corinthians diante da defesa da Portuguesa. Foto: Moisés Palácios/Futura PressJogadores da Portuguesa comemoram gol de Gilberto, que marcou três vezes contra o Corinthians. Foto: Moisés Palácios/Futura PressTiago Real é marcado por Vitor Jr em ataque do Náutico. Foto: Aldo Carneiro/Futura PressOliveira, do Náutico, comemora gol durante a partida contra o Coritiba. Foto: Aldo Carneiro/Futura PressYuri, do Goiás, e Rafael Sóbis, do Fluminense, disputam a bola no Serra Dourada. Foto: Carlos Costa/Futura PressJean comemora gol do Fluminense, que venceu de virada no Serra Dourada por 2 a 1. Foto: Carlos Costa/Futura PressPonte Preta comemora o gol de Elias Ribeiro sobre o Botafogo no Maracanã. Foto: Alexandre Loureiro/Inovafoto/Gazeta PressSeedorf durante derrota do Botafogo para a Ponte Preta, no Maracanã. Foto: Vitor Silva/SSPress


"Não acredito nem que isso tenha passado pela cabeça dele. Essa possibilidade não existe, em nenhum momento existiu e tampouco passou pela nossa cabeça. Pelo menos, em nenhum momento ouvi um suspiro ou sussurro sobre isso", comentou o atacante, defendendo intensamente o técnico.

"Ele é o nosso treinador, o nosso líder que nos deu cinco títulos. Temos carinho e respeito pelo profissional e pela pessoa que ele é", prosseguiu o camisa 11. Tite, inclusive, recebeu apoio da torcida presente em Campo Grande (MS) antes do apito inicial, retribuindo aos gritos dando um beijo no escudo corintiano que tem em seu uniforme.

A presença de Sheik e Alessandro na entrevista coletiva é para tirar a culpa até dos dirigentes. "O torcedor tem o direito de cobrar, entendemos que estamos em dívida. Nos últimos dois, três anos, o Corinthians teve títulos importantes para a história do clube, se fortaleceu, e a diretoria teve a competência de manter o grupo de 2011 e parte do 2012, além de contratar novos jogadores", lembrou Emerson.

"É o momento de os atletas virem a público e assumir a sua responsabilidade. Este grupo é vencedor e já provou isso, mas é o momento de ter grandeza para vir à imprensa reconhecer que não está legal e pode melhorar", insistiu o atacante, que foi capitão do Timão na vergonhosa apresentação deste domingo.

Leia tudo sobre: corinthianstiteigspbrasileirao

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas