Edu Gaspar diz que não se cogitou saída de Tite, mas haverá reunião no CT

Por Gazeta |

compartilhe

Tamanho do texto

Gerente de futebol do Corinthians afirma que haverá discussão com o elenco sobre a sequência de oito jogos sem vitória

Daniel Augusto Jr./Agência Corinthians
Tite, técnico do Corinthians

Tite deixou o estádio Morenão sem dar entrevistas após a goleada da Portuguesa, mas teve mais uma voz o garantindo no Corinthians: o gerente de futebol Edu Gaspar, único dirigente presente em Campo Grande (MS) e que assegurou que ninguém cogitou a troca de técnico. Contudo, haverá uma reunião envolvendo o elenco nesta segunda-feira para discutir a sequência de oito jogos sem vitória.

Deixe seu recado e comente a notícia com outros torcedores

O anúncio da conversa foi feito por Emerson Sheik, primeiro a sair dos vestiários, ao lado de Alessandro, para poupar o treinador de dar entrevista coletiva. "Vamos nos reunir amanhã (segunda-feira) no CT e bater um papo para identificar o problema. No próximo jogo, o torcedor vai ver o Corinthians com a cara de sempre, do que jeito que eles estão acostumados, do Corinthians campeão", disse o atacante.

A primeira conversa, de quase uma hora, ocorreu nos vestiários. Sem nem o treinador pensar em deixar o clube, segundo os presentes no encontro. "Tivemos um papo no vestiário com os atletas e o Tite não colocou o cargo à disposição. Ele estava chateado, sem dúvida, como todos nós, mas não colocou o cargo à disposição", afirmou Edu.

Veja imagens dos jogos desta rodada do Brasileirão

Luis Fabiano divide a bola com Dida em ataque do São Paulo. Foto: Wagner Carmo/Inovafoto/Gazeta PressVargas perde o equilíbrio em disputa com Osvaldo. Foto: Marcos Bezerra/Futura PressVargas comemora gol que decretou a vitória do Grêmio sobre o São Paulo no Morumbi. Foto: FERNANDO DANTAS / Gazeta PressManoel domina a bola pelo Atlético-PR observado por Dinei, do Vitória. Foto: Giuliano Gomes/Gazeta PressWilliam Henrique comemora gol do Vitória. Foto: Giuliano Gomes/Gazeta PressWillian comemora gol da vitória do Cruzeiro. Foto: VINÍCIUS COSTA/Preview.com/Gazeta PressOtávio, do Internacional, persegue Egídio em ataque do Cruzeiro. Foto: Itamar Aguiar/Futura PressMarcos Rocha festeja com a torcida após marcar gol do Atlético-MG sobre o Santos. Foto: Yuri Edmundo/Gazeta PressArouca aposta corrida com Leonardo Silva em ataque do Atlético-MG. Foto: Paulo Fonseca/Futura PressHernane comemora diante da torcida gol do Flamengo sobre o Criciúma. Foto: Alexandre Vidal/Fla ImagemLéo Moura parte com a bola dominada em ataque do Flamengo. Foto: Alexandre Vidal/Fla ImagemWilliam Barbio se antecipa a Fagner e domina a bola pelo Bahia. Foto: FELIPE OLIVEIRA/ Agif/Gazeta PressHélder é cercado por jogadores do Vasco durante ataque do Bahia. Foto: Edson Ruiz/Gazeta PressGilberto corre para comemorar após marcar gol da Portuguesa. Foto: Moisés Palácios/Futura PressEmerson Sheik conduz a bola pelo Corinthians diante da defesa da Portuguesa. Foto: Moisés Palácios/Futura PressJogadores da Portuguesa comemoram gol de Gilberto, que marcou três vezes contra o Corinthians. Foto: Moisés Palácios/Futura PressTiago Real é marcado por Vitor Jr em ataque do Náutico. Foto: Aldo Carneiro/Futura PressOliveira, do Náutico, comemora gol durante a partida contra o Coritiba. Foto: Aldo Carneiro/Futura PressYuri, do Goiás, e Rafael Sóbis, do Fluminense, disputam a bola no Serra Dourada. Foto: Carlos Costa/Futura PressJean comemora gol do Fluminense, que venceu de virada no Serra Dourada por 2 a 1. Foto: Carlos Costa/Futura PressPonte Preta comemora o gol de Elias Ribeiro sobre o Botafogo no Maracanã. Foto: Alexandre Loureiro/Inovafoto/Gazeta PressSeedorf durante derrota do Botafogo para a Ponte Preta, no Maracanã. Foto: Vitor Silva/SSPress

"Quero evitar qualquer tipo de especulação e reiterar que a palavra do presidente Mário Gobbi, do diretor de futebol Roberto de Andrade, do diretor adjunto de futebol Duílio Monteiro Alves e minha continua a mesma quanto à permanência do Tite no cargo e a nossa total confiança no seu trabalho", completou o gerente de futebol.

Tanto Emerson Sheik quanto Alessandro e Edu fizeram de tudo para minimizar qualquer culpa do treinador. O dirigente relatou que Tite foi poupado até de boa parte da conversa ocorrida nos vestiários, embora ressaltasse a participação do técnico que ficou quase todo o jogo sentado no banco de reservas, atônito, raramente falando algo com algum de seus colegas de comissão técnica.

"Não chegou a ser uma reunião, mas mostramos todos os sentimentos que todos estavam, foi um papo de pessoas que querem mudar e estão sentindo na pele o que está acontecendo. Os atletas falaram e conversei com eles, deixando o Tite à parte em alguns momentos, mas, depois, ele também falou", comentou Edu.

Leia tudo sobre: CorinthiansBrasileirão

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas