Gerente de futebol do Corinthians afirma que haverá discussão com o elenco sobre a sequência de oito jogos sem vitória

Tite, técnico do Corinthians
Daniel Augusto Jr./Agência Corinthians
Tite, técnico do Corinthians

Tite deixou o estádio Morenão sem dar entrevistas após a goleada da Portuguesa, mas teve mais uma voz o garantindo no Corinthians : o gerente de futebol Edu Gaspar, único dirigente presente em Campo Grande (MS) e que assegurou que ninguém cogitou a troca de técnico. Contudo, haverá uma reunião envolvendo o elenco nesta segunda-feira para discutir a sequência de oito jogos sem vitória.

Deixe seu recado e comente a notícia com outros torcedores

O anúncio da conversa foi feito por Emerson Sheik, primeiro a sair dos vestiários, ao lado de Alessandro, para poupar o treinador de dar entrevista coletiva. "Vamos nos reunir amanhã (segunda-feira) no CT e bater um papo para identificar o problema. No próximo jogo, o torcedor vai ver o Corinthians com a cara de sempre, do que jeito que eles estão acostumados, do Corinthians campeão", disse o atacante.

A primeira conversa, de quase uma hora, ocorreu nos vestiários. Sem nem o treinador pensar em deixar o clube, segundo os presentes no encontro. "Tivemos um papo no vestiário com os atletas e o Tite não colocou o cargo à disposição. Ele estava chateado, sem dúvida, como todos nós, mas não colocou o cargo à disposição", afirmou Edu.

Veja imagens dos jogos desta rodada do Brasileirão

"Quero evitar qualquer tipo de especulação e reiterar que a palavra do presidente Mário Gobbi, do diretor de futebol Roberto de Andrade, do diretor adjunto de futebol Duílio Monteiro Alves e minha continua a mesma quanto à permanência do Tite no cargo e a nossa total confiança no seu trabalho", completou o gerente de futebol.

Tanto Emerson Sheik quanto Alessandro e Edu fizeram de tudo para minimizar qualquer culpa do treinador. O dirigente relatou que Tite foi poupado até de boa parte da conversa ocorrida nos vestiários, embora ressaltasse a participação do técnico que ficou quase todo o jogo sentado no banco de reservas, atônito, raramente falando algo com algum de seus colegas de comissão técnica.

"Não chegou a ser uma reunião, mas mostramos todos os sentimentos que todos estavam, foi um papo de pessoas que querem mudar e estão sentindo na pele o que está acontecendo. Os atletas falaram e conversei com eles, deixando o Tite à parte em alguns momentos, mas, depois, ele também falou", comentou Edu.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.