Corinthians volta a perder por quatro gols de diferença após mais de oito anos

Por iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

No Brasileirão de 2005, clube do Parque São Jorge foi derrotado por 5 a 1 pelo São Paulo no Pacaembu. Goleada resultou na queda do então treinador, Daniel Passarela

Djalma Vassão/Gazeta Press
Goleiro do Corinthians em 2005, Tiago lamenta um dos cinco gols que sofreu do São Paulo no Pacaembu

A derrota por 4 a 0 para a Portuguesa neste domingo foi a pior do Corinthians durante o período sob o comando de Tite e ampliou a má fase do time, que chega a oito jogos sem vitória. Mais do que isso: fez o clube passar por uma situação que não vivia havia mais de oito anos. A última goleada que sofreu por quatro gols de diferença tinha acontecido no dia 7 de maio de 2005, quando caiu diante do São Paulo por 5 a 1 no Pacaembu.

Deixe seu recado e comente a notícia com outros torcedores

O jogo em questão aconteceu pela terceira rodada do Brasileirão daquele ano. O São Paulo precisou de menos de 20 minutos para definir a vitória contra um Corinthians que já atravessava momento turbulento, graças à eliminação na Copa do Brasil. Rogério Ceni abriu o placar aos três minutos ao converter um pênalti. Luizão e Danilo, hoje jogador corintiano, marcaram aos 15 e 17, respectivamente. O São Paulo contou ainda com um gol de Luizão e outro de Cicinho. Quem descontou pelo Corinthians foi o meia Carlos Alberto.

Veja imagens dos jogos desta rodada do Brasileirão

Luis Fabiano divide a bola com Dida em ataque do São Paulo. Foto: Wagner Carmo/Inovafoto/Gazeta PressVargas perde o equilíbrio em disputa com Osvaldo. Foto: Marcos Bezerra/Futura PressVargas comemora gol que decretou a vitória do Grêmio sobre o São Paulo no Morumbi. Foto: FERNANDO DANTAS / Gazeta PressManoel domina a bola pelo Atlético-PR observado por Dinei, do Vitória. Foto: Giuliano Gomes/Gazeta PressWilliam Henrique comemora gol do Vitória. Foto: Giuliano Gomes/Gazeta PressWillian comemora gol da vitória do Cruzeiro. Foto: VINÍCIUS COSTA/Preview.com/Gazeta PressOtávio, do Internacional, persegue Egídio em ataque do Cruzeiro. Foto: Itamar Aguiar/Futura PressMarcos Rocha festeja com a torcida após marcar gol do Atlético-MG sobre o Santos. Foto: Yuri Edmundo/Gazeta PressArouca aposta corrida com Leonardo Silva em ataque do Atlético-MG. Foto: Paulo Fonseca/Futura PressHernane comemora diante da torcida gol do Flamengo sobre o Criciúma. Foto: Alexandre Vidal/Fla ImagemLéo Moura parte com a bola dominada em ataque do Flamengo. Foto: Alexandre Vidal/Fla ImagemWilliam Barbio se antecipa a Fagner e domina a bola pelo Bahia. Foto: FELIPE OLIVEIRA/ Agif/Gazeta PressHélder é cercado por jogadores do Vasco durante ataque do Bahia. Foto: Edson Ruiz/Gazeta PressGilberto corre para comemorar após marcar gol da Portuguesa. Foto: Moisés Palácios/Futura PressEmerson Sheik conduz a bola pelo Corinthians diante da defesa da Portuguesa. Foto: Moisés Palácios/Futura PressJogadores da Portuguesa comemoram gol de Gilberto, que marcou três vezes contra o Corinthians. Foto: Moisés Palácios/Futura PressTiago Real é marcado por Vitor Jr em ataque do Náutico. Foto: Aldo Carneiro/Futura PressOliveira, do Náutico, comemora gol durante a partida contra o Coritiba. Foto: Aldo Carneiro/Futura PressYuri, do Goiás, e Rafael Sóbis, do Fluminense, disputam a bola no Serra Dourada. Foto: Carlos Costa/Futura PressJean comemora gol do Fluminense, que venceu de virada no Serra Dourada por 2 a 1. Foto: Carlos Costa/Futura PressPonte Preta comemora o gol de Elias Ribeiro sobre o Botafogo no Maracanã. Foto: Alexandre Loureiro/Inovafoto/Gazeta PressSeedorf durante derrota do Botafogo para a Ponte Preta, no Maracanã. Foto: Vitor Silva/SSPress

Confira classificação, tabela de jogos, artilharia e notícias do Campeonato Brasileiro

A goleada foi a pior que o Corinthians já sofreu do São Paulo na história e intensificou os protestos da torcida. O principal alvo era o então treinador, o argentino Daniel Passarela, que não resistiu ao resultado e acabou sendo demitido. 

Nos anos seguintes, o Corinthians voltou a sofrer cinco gols no encontro com o Atlético-MG pelo segundo turno do Brasileirão de 2007. A derrota, no entanto, não foi tão elástica em relação à de 2005 e à deste domingo porque o time chegou a marcar duas vezes nos mineiros.

Desde que Tite assumiu o comando, em outubro de 2010, o Corinthians não tinha sofrido mais de três gols em uma única partida. Ainda assim, em todas as vezes que isso aconteceu, balançou pelo menos uma vez as redes do adversário.

A defesa corintiana não era vazada quatro vezes no mesmo jogo desde o dia 10 de outubro de 2010, quando perdeu por 4 a 3 para o Atlético-GO no Pacaembu. A derrota também culminou na saída de quem comandava a equipe na época: Adílson Batista. Curiosamente, Tite o substituiu.

Leia tudo sobre: CorinthiansBrasileirão

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas