Festa do Corinthians teve mais que celebração do aniversário do clube em Itaquera no sábado

A festa pelos 103 anos do Corinthians realizada no sábado, em Itaquera, teve mais que a celebração pelo aniversário, o show de Ivete Sangalo ou a apresentação da futura casa do time para os cerca de 3 mil convidados da diretoria. Foi um evento político de Andrés Sanchez, ex-presidente do clube e pretendente a ocupar o lugar de José Maria Marin em 2014. Ele se opõe a Marco Polo Del Nero, candidato de Marin a sucedê-lo na CBF.


Sanchez convidou ministros do governo Dilma Rousseff, presidentes de federações estaduais (com poder de voto nas eleições da CBF), deputados federais e secretários de Esporte de São Paulo e outros estados.

Em discurso, Sanchez tratou de agradecer a presença de todos valorizando o feito do clube, e particularmente seu, nas tratativas que ergueram o estádio, 90% concluído. Andrés é responsável pelas negociações envolvendo as obras do estádio, palco da abertura da Copa do Mundo em 2014.

José Eduardo Cardozo, ministro da Justiça, Miriam Belchior, do Planejamento, e Alexandre Padilha, da Saúde, representaram o governo federal no evento. A intenção de Sanchez era que Lula, segundo ele o principal responsável por tornar viável a construção do estádio em Itaquera, aparecesse, mas o ex-presidente não pôde comparecer.

Rubens Lopes, presidente da Federação Carioca de Futebol, e contrário à candidatura de Marco Polo Del Nero à presidência da CBF, foi um dos convidados. Sanchez pretende contar com o apoio dele e de presidentes de outras federações para se lançar candidato à CBF.

A eleição da CBF em 2014 será decidida por 47 eleitores. O grupo de votantes é composto por 27 presidentes das federações estaduais e por 20 clubes da primeira divisão.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.