Felipão evita conflito com a CBF sobre manifesto de jogadores contra calendário

Por Gazeta |

compartilhe

Tamanho do texto

Datas de 2014 estão comprometidas por conta da Copa do Mundo e jogadores protestam

Mowa Press
Felipão convocou a seleção brasileira para os amistosos de 12 e 15 de outubro na Ásia

O treinador do Brasil, Luiz Felipe Scolari, não quis polemizar sobre o manifesto publicado por jogadores contra o calendário brasileiro em 2014, divulgado na última sexta-feira pela CBF. Para Felipão, é preciso levar em conta que o próximo ano será atípico, por causa da disputa da Copa do Mundo no país.

Leia também: Felipão convoca Lucas Leiva, Victor e Dedé para amistosos na Ásia

"É um posicionamento normal. Todos devem sentar na mesa e conversar, para montar um calendário equilibrado, em que as partes econômica e política estejam envolvidas. Precisa haver participação da CBF, das federações, dos atletas, dos preparadores físicos e dos técnicos, para que se chegue a um consenso", disse Felipão.

E mais: 75 jogadores se unem e pedem reunião com CBF para rever calendário

Ao comentar as lesões de Júlio Cesar e Thiago Silva, que ficaram fora da lista de convocados para os amistosos contra Coreia do Sul e Zâmbia, o treinador declarou não ver diferenças entre os calendários brasileiro e europeu.

"Vocês precisam saber que não são só os times brasileiros que têm problemas de lesão. O europeu acabou de começas e já tem milhares de lesão", afirmou.

A redução das férias no começo do ano, de 30 para 15 dias, por causa da Copa do Mundo, motivou a criação do manifesto, assinado por 75 jogadores, de 21 clubes diferentes, das Séries A e B do Campeonato Brasileiro. Segundo o jornal Folha de S. Paulo, estariam entre as reivindicações a redução do número de partidas por ano, a readequação das férias e da pré-temporada e a criação de uma espécie de fair-play financeiro, capaz de garantir maior equilíbrio econômico entre os clubes.

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas