Tite aceita o 0 a 0 como vantagem mínima possível do Corinthians contra o Grêmio

Por iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

Técnico acredita que o 0 a 0 não é um resultado ruim para o Corinthians na Copa do Brasil

Daniel Augusto Jr./Agência Corinthians
Tite não vai lamentar um 0 a 0 no jogo de ida contra o Grêmio pela Copa do Brasil no Pacaembu

Para Tite, há três níveis possíveis de vantagem que o Corinthians pode buscar no jogo de ida contra o Grêmio, na quarta-feira, pelas quartas de final da Copa do Brasil. O ideal, claro, é uma vitória por boa diferença de gols, mas não haverá grande insatisfação se o placar do Pacaembu ficar zerado.

Leia também: Fracasso no Brasileiro aumenta pressão na Copa do Brasil

"São 180 minutos decisivos. Tirar vantagem na primeira partida é importante. No melhor cenário, é vencer sem tomar gols. Vencer, pura e simplesmente, também te dá uma vantagem. Em um terceiro estágio, é empatar sem levar gols. São os três estágios de alguma vantagem hipotética", afirmou o treinador, ciente do poder ofensivo da equipe.

E mais: Corinthians terá prejuízo milionário se ficar fora da Libertadores

No Campeonato Brasileiro o Corinthians tem 20 gols em 23 jogos e é o segundo pior da competição. Recordista de empates, ficou no 0 a 0 em cinco dos 10 jogos em que deixou o campo com a igualdade no placar. 

Emerson ganha vaga de Romarinho, mas escalação do Corinthians não é definida

Bola na rede fora de casa é critério de desempate na competição. Assim, com um 0 a 0 em casa, o Corinthians jogará por qualquer empate com gols no segundo duelo, marcado para 23 de outubro, em Porto Alegre. Nova igualdade sem gols na Arena do Grêmio tornaria necessária uma disputa por pênaltis.

O Corinthians marcou só um gol em suas últimas seis partidas no Campeonato Brasileiro - um gol contra de Ramon, do Goiás, que acabou sendo creditado a Alexandre Pato.

Sendo assim, fazer 1 a 0 no Grêmio seria uma goleada? "Não. É uma vantagem considerável. Não é goleada. É um resultado importante por não tomar gol", respondeu o gaúcho, apontando os fatores necessários para os atacantes voltarem a acertar o pé: "Treinamento, concentração e confiança".

*com Gazeta

Leia tudo sobre: TiteCorinthiansGrêmioCopa do Brasil

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas