Porta-voz do Corinthians na crise, Gil se esforça para explicar má fase do time

Por Gazeta |

compartilhe

Tamanho do texto

Zagueiro é um dos poucos poupados de críticas por parte dos torcedores e virou referência

Daniel Augusto Jr./Agência Corinthians
Gil tem dificuldades para explicar sequência ruim do Corinthians no Brasileirão

Gil é um tipo tímido, de poucas palavras, claramente desconfortável em suas entrevistas. Mesmo assim, sendo um dos raros jogadores do Corinthians atualmente em alta com a torcida, ele se tornou uma espécie de porta-voz da equipe em crise, há quatro partidas sem vitória.

Deixe seu comentário para esta notícia

O duro é explicar o desempenho recente do campeão mundial. "É difícil falar", disse o beque, várias vezes, na entrevista concedida na segunda-feira, no CT do Parque Ecológico. Suas três primeiras respostas começaram com essa frase, repetida em muitos outros momentos.

A linha de raciocínio não foge muito à adotada pelo próprio atleta no último domingo. Após a derrota por 2 a 1 para o Goiás, enquanto Alexandre Pato e Emerson deixaram o gramado do Pacaembu correndo, sob vaias de boa parte dos torcedores, o zagueiro foi o último a descer para os vestiários, aplaudido pelo público que o esperou no tobogã.

Leia também: Alessandro e Fábio Santos desfalcam Corinthians contra a Ponte Preta

Porta-voz novamente na segunda, Gil voltou a pedir união ao grupo comandado por Tite. Segundo ele, todos estão muito chateados com a fase negativa, mas encontram problemas para encontrar uma explicação para a queda brusca - em duas semanas, a diferença para o líder do Campeonato Brasileiro saltou de cinco para 16 pontos.

"É difícil falar em um culpado. Estamos todos tristes. Temos feito de tudo o que o professor pede, mas parece que a bola não quer entrar. Até eu tive chance. A bola passou do goleiro, mas o zagueiro tirou em cima da linha. Quando perde, perde todo o mundo", comentou.

Para Gil, é urgente a vitória sobre a Ponte Preta, na próxima quarta, em Campinas. "A gente está há quatro partidas sem vencer e precisa voltar a ganhar rapidamente. Pode ser 1 a 0, 2 a 1. Um a zero vai ser um bom placar."

Leia tudo sobre: Corinthiansigspbrasileirão

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas