Após cusparada em MG, Leandro prevê jogos mais violentos na Série B

Por iG São Paulo * |

compartilhe

Tamanho do texto

Para o atacante do Palmeiras, clima pode ficar tenso em partidas na reta final do campeonato

Divulgação
Valdivia mostra boca inchada após jogo contra o América-MG

No sábado, o Palmeiras teve Luis Felipe levando seu terceiro amarelo após reclamar de entrada dura do volante Andrei e Alan Kardec expulso depois de se irritar com carrinho com os dois pés erguidos, empurrão e pisão do goleiro Matheus e cusparada do meia-atacante Willians. O empate com o América-MG, contudo, serviu como lição: os jogos que restam na Série B serão violentos.

Comente esta notícia com outros torcedores

Gilson Kleina desembarcou de Belo Horizonte reiterando que seu time é tão visado que os adversários chegam a ser desleais. Leandro, escolhido para dar entrevista coletiva nesta segunda-feira, concordou já prevendo que a hostilidade diante do líder e foco da competição aumentará nas 16 partidas que estão sobrando à equipe.

"Com certeza os jogos serão mais violentos. Quando começar a afunilar, vai ter time brigando para não cair e para subir, e teremos que saber lidar com isso. Somos líderes, nosso objetivo é ser campeão e precisaremos de bastante atenção", receitou o atacante, que também levou amarelo no estádio Independência, mas por falta que cometeu após receber entradas desde o início do jogo.

STJD solicita imagens após confusão entre América-MG e Palmeiras

Não foram só Luis Felipe e Kardec que sofreram no sábado. Valdivia terminou o jogo com o olho esquerdo roxo e a boca inchada, culpando uma cotovelada que sofreu sem o árbitro ver. E Willians, que pediu desculpas pela cusparada no rosto de Kardec, antes já tinha deslocado seu corpo para derrubar Mendieta, que estava no alto e reclamou de dores na cintura devido à queda causada pelo adversário.

"O Palmeiras é visado, é o clube grande da Série B e o líder. Contra nós, todos querem dar a vida, os times poupam jogadores para jogar contra nós. Todos vêm com mais vontade e essa vontade às vezes excede um pouco, dão entradas mais duras. Estamos sofrendo com isso", prosseguiu Leandro.

Valdivia e Gilson Kleina já se posicionaram publicamente exigindo punição do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), que já suspendeu o chileno por forçar cartão amarelo, Mendieta por imagens de um soco dele em jogador do Paysandu e Wesley por trocar tapas no peito com outro atleta do time paraense.

Em relação a ações imediatas, Leandro, com cautela, solicitou mais atitude dos árbitros. "Não é culpa deles, mas eles deixam o jogo correr um pouco e as confusões acontecem. Os árbitros têm de parar mais a jogada, algumas faltas que eles não dão interferem um pouco", comentou o atacante.


* Com Gazeta

Leia tudo sobre: palmeirasserie bleandro

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas