Ex-zagueiro santista se espelha em Lúcio e Juan para brilhar no futebol alemão

Por Mário André Monteiro | iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Marcelo chegou recentemente ao Hannover depois de boas temporadas na Holanda e Polônia e espera fazer o mesmo sucesso de compatriotas no país germânico

Getty Images
Zagueiro Marcelo em ação pelo Hannover

Nos últimos anos, o futebol alemão se transformou em lugar de sucesso para zagueiros brasileiros. Atualmente brilham na Bundesliga o defensor Dante, do Bayern de Munique, Felipe Santana, destaque do Dortmund na temporada passada e que agora está no Schalke, e Anderson Bamba, titular absoluto do Eintracht Frankfurt. A bola da vez é Marcelo, recém-contratado pelo Hannover.

Leia mais notícias e opiniões sobre o futebol germânico no Blog do Alemão

Revelado nas categorias de base do Santos, o zagueiro chegou ao time profissional do alvinegro paulista em 2007 e, depois de fazer bons jogos pela equipe, se mudou para o Wisła Kraków, da Polônia, em 2008. Duas temporadas depois, Marcelo foi para o PSV, da Holanda, onde permaneceu até julho deste ano, quando foi contratado pelo Hannover.

Em entrevista exclusiva ao iG Esporte, Marcelo revelou que o sucesso que os zagueiros brasileiros fazem na Alemanha pesou na decisão de acertar com o Hannover. "A maioria dos jogadores brasileiros aqui são zagueiros, os alemães gostam disso. E isso pesou um pouco na hora de fechar contrato", disse o atleta de 26 anos de idade.

Aliás, Marcelo admitiu que, para ter sucesso na carreira, se espelha em dois jogadores que brilharam no futebol alemão. "Tenho dois ídolos no futebol: o Lúcio (hoje encostado no São Paulo e ídolo de Bayer Leverkusen e Bayern de Munique) e o Juan (atualmente no Inter e ex-atleta do Bayer Leverkusen). Juntando a raça e garra do Lúcio com a experiencia, calma e técnica do Juan, forma a dupla perfeita", contou.

Getty Images
Marcelo começou a atual temporada ainda no PSV, da Holanda, onde brilhou

Perspectivas no Hannover

Marcelo começou a temporada 2013/2014 ainda no PSV, mas um amistoso contra o Hannover, realizado no último dia 14 de julho, mudou os rumos do jogador. O clube holandês visitou o alemão para um amistoso e venceu por 3 a 0 - a excelente atuação do brasileiro chamou a atenção dos germânicos, que não hesitaram em tentar contratá-lo.

"Estava na pré-temporada com o PSV, jogamos esse amistoso contra o Hannover e fomos bem. O Hannover já vinha me acompanhando há algum tempo, mas depois desse jogo eles entraram em contato comigo, com meu empresário e fizeram uma boa proposta de trabalho. O planejamento é bom e a ideia é o time ficar entre os primeiros na Alemanha", disse o atleta.

E o começo de Bundesliga do Hannover é promissor. Em quatro rodadas, o time venceu três jogos e perdeu apenas um, ocupando a quarta colocação. "A nossa expectativa é a de ficar entre os cinco primeiros para conseguir uma vaga na Liga Europa. Mas, quem sabe, se fizermos uma temporada boa, podemos chegar atá a Champions League. O time está redondo, montado", avisou Marcelo.

Gazeta Press/Arquivo
Zagueiro Marcelo comemora gol pelo Santos no clássico contra o Corinthians, em 2007

O começo no Santos

O zagueiro Marcelo deixou o Santos com apenas 21 anos de idade depois de aparecer muito bem na equipe principal, se destacando em jogos pelo Campeonato Brasileiro, Paulistão e Copa Libertadores. Ele despertou o interesse do futebol europeu e não se arrepende de ter se aventurado no exterior ainda muito jovem.

"Para mim foi o momento certo, estava jogando no Santos, fazendo bons jogos, aí veio a proposta do futebol polonês e me mudei para Europa. O mais difícil para um jogador é chegar aqui. Fiz boas temporadas na Polônia e na Holanda, agora estou na Alemanha, em um time promissor, e pretendo subir ainda mais na carreira", disse Marcelo.

"Na minha vida tudo foi feito passo a passo. Esse foi um passo mais importante para chegar num time top no futuro. O Hannover ainda não é um time grande na Europa, mas vai ser importante para eu ganhar mais experiência", completou.

E foi no Santos que Marcelo encontrou aquele que considera o atacante mais difícil que duelou na vida. Na Libertadores de 2008, o time foi eliminado pelo América-MEX nas quartas de final e o atacante paraguaio Cabañas não sai da mente do atleta. "Lembro de atacantes difíceis de serem marcados, mas o principal foi o Cabañas. Ele estava numa fase excelente, fazendo gols, e jogar contra ele naquela ocasião foi muito difícil", finalizou.

Leia tudo sobre: MarceloHannoverAlemanhaFutebol Mundial

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas