Construção de um CT em São Roque, projeto antigo no clube, é praticamente descartado por Paulo Nobre. Modernização de Academia em Guarulhos é financeiramente mais viável

Erasmo Damiani ao lado de José Carlos Brunoro
Divulgação
Erasmo Damiani ao lado de José Carlos Brunoro

Alvo de questionamentos sobre a construção de um centro de treinamento para as categorias de base, o Palmeiras admite que a concretização desse sonho é distante. De acordo com o coordenador do futebol amador, Erasmo Damiani, o trabalho mais provável a ser feito é a readequação da Academia II, em Guarulhos, que fica situada próximo ao Aeroporto de Cumbica.

Deixe seu recado e comente com os outros leitores

A distância entre o alojamento, que fica ao lado do Allianz Parque, e o local do treino é apontado como um dos maiores problemas. Embora, o centro de treinamento esteja bem localizado, às margens da Rodovia Ayrton Senna, a diretoria acredita que o fato dos times terem de "viajar" pode prejudicar o desempenho dos jogadores. Por esse motivo, considera-se que a modernização, financeiramente, seria o caminho mais viável. Hoje, há seis campos, vestiários, academia de ginástica, sala de fisioterapia e departamento médico em Guarulhos.

"Hoje o Palmeiras tem um centro de treinamento aceitável de se trabalhar, só que a logística dele é complicada. Infelizmente, nós não temos um alojamento ou até mesmo uma estrutura onde os atletas possam chegar de manhã, treinar, almoçar, descansar e ir embora. Nós estamos buscamos uma situação para que possamos fazer tudo isso no CT de Guarulhos. É um sonho mais próximo de fazermos", afirmou Damiani ao iG .

Outra alternativa, que está praticamente descartada por Paulo Nobre, seria a construção de um centro de treinamento em São Roque, no interior de São Paulo. O presidente, ao lado do coordenador Damiani, chegaram ir à cidade para conhecer o terreno que receberia o centro de treinamento, mas o Palmeiras teria de conseguir a Certidão Negativa de Débito (CND), o que torna o negócio ainda mais difícil.

"Claro que é o sonho de qualquer clube ter um centro de treinamento adequado para que você possa desenvolver o trabalho dos atletas. Hoje um novo CT é um sonho longo e uma construção longa, pois é uma obra que não é da noite para o dia. O que pensamos foi na readequação em Guarulhos, porque teríamos até um ganho técnico fazendo isso", completou.

O projeto de construção de um CT de São Roque é uma herança deixada pelo ex-presidente Luiz Gonzaga Belluzo. Com a Lei de Incentivo ao Esporte a favor, o clube gastou cerca de R$ 225 mil com planejamento do projeto na gestão Arnaldo Tirone, mas ele nunca saiu do papel. Conclusão, o prazo para captação de recursos terminou em março de 2011 e a Prefeitura de São Roque pediu a devolução da área.

Ou seja, a Prefeitura de São Roque cederia a área para a construção das instalações e o Palmeiras ficaria responsável de conseguir investidores para contribuir com as obras, na época, orçadas em R$ 25 milhões. Três projetos já estavam aprovados: campos auxiliares, coberturas e pavimento externo; campo de treinamento e alambrados; e construção do complexo administrativo e de atendimento aos atletas.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.