Juninho Pernambucano reclama de calendário apertado do Brasileiro

Por Gazeta |

compartilhe

Tamanho do texto

"É humanamente impossível aguentar o ritmo. Fica só na base da briga, da raça e do empurrão da torcida", disse o jogador do Vasco após empate com o Atlético-PR

O Vasco não foi capaz de interromper a série invicta do Atlético-PR, que, depois do empate em 0 a 0 da noite deste domingo, é de 12 jogos. Apesar disso, a partida foi bastante aberta, com muitas chances, principalmente na primeira etapa.

Confira classificação, tabela de jogos e artilharia do Campeonato Brasileiro

Para o meia e capitão vascaíno Juninho Pernambucano, a queda de rendimento das duas equipes após o intervalo tem uma explicação bastante clara: o calendário apertado.

Deixe seu recado e comente esta notícia com outros leitores

"Foi uma semana muito cansativa. Todos os dias fora do Rio, sem muito tempo para treinar ou descansar em casa. Aí tem que jogar domingo e quarta. É humanamente impossível aguentar o ritmo. Fica só na base da briga, da raça e do empurrão da torcida. Assim, o espetáculo é esse do segundo tempo, que foi bem ruim. Enquanto não mudar o calendário, não vai melhorar", desabafou.

Leia mais: Vasco e Atlético-PR empatam sem gols em São Januário

Continuando a maratona de jogos, o Vasco volta a campo na próxima quarta-feira, quando vai até São Paulo encarar a Portuguesa. O duelo está marcado para as 21h50 (de Brasília).

Leia tudo sobre: vascobrasileirãojuninho

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas