Deputado será cabo eleitoral do ex-presidente corintiano que tentará suceder Marin na CBF

A presença de Romário em evento organizado por Andrés Sanchez na sede do Corinthians nesta quarta-feira vai além do mero apoio às propostas que o ex-presidente do clube tem para o futebol brasileiro e sul-americano. É demonstração de o que ex-atacante da seleção brasileira e um dos maiores críticos de José Maria Marin o apoiará nas eleições de abril para a presidência da CBF.

Corinthians recebe Maradona e Romário para iniciar briga com a Conmebol

“Acho que está na hora da moralidade imperar no futebol brasileiro e sul-americano e a gente espera isso. Eu vim com esse objetivo de colocar tudo às claras. Quem fez algo errado tem que pagar e os responsáveis tem que ser presos e ir pra cadeia”, disse Romário na chegada ao Parque São Jorge. O deputado, por mais de uma vez, pediu investigações sobre o papel de José Maria Marin na ditadura militar. O atual presidente da CBF foi deputado e governador biônico nos anos 70 e teria agido para a prisão do jornalista Vladimir Herzog, morto na cadeia.

Romário chega ao Parque São Jorge
Bruno Winckler/iG
Romário chega ao Parque São Jorge

Em abril, Romário já dissera que Sanchez seria um bom nome para suceder Marin. "Torço e acredito que apareça algum candidato avulso, contrário aos métodos atuais e que possa incomodar os atuais dirigentes. Se ele hoje, o Andrés Sanchez, se candidatasse à presidência da CBF, muito provavelmente teria meu apoio. Outro nome que também seria excelente é o Raí”, disse Romário ao jornal “O Estado de S. Paulo”.

Veja também: Conmebol cogita final da Libertadores em jogo único e campo neutro

No Parque São Jorge, Romário foi mais um ex-atleta que manifestou apoio a Sanchez. Enzo Francescoli, Romário, Chilavert e Careca foram outros ex-jogadores de renome que aceitaram o convite do ex-presidente corintiano, que pretende ser presidente da CBF em 2014.

“Não vim como deputado. Vim como ex-jogador e como alguém que quer ver alguém tomando decisões que atletas e ex-atletas defendem”, disse Romário.

Em Brasília, Romário foi um dos porta-vozes do projeto de lei que pretende limitar os mandatos dos dirigentes esportivos no Brasil em quatro anos , com uma única reeleição. A Comissão de Educação, Cultura e Esporte do Senado aprovou o Projeto de Lei do Senado (PLS) 253/2012 na última terça-feira.

Veja imagens da carreira de Romário


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.