Corinthians conseguiu eliminar o Luverdense com a vitória por 2 a 0 no Pacaembu e segue na Copa do Brasil

Tite ficou satisfeito com o desempenho do Corinthians no triunfo por 2 a 0 sobre o Luverdense . A equipe fez o que dela se esperava, e o treinador se sentiu à vontade para reclamar da péssima arbitragem de Pablo dos Santos Alves na partida de ida, em Lucas do Rio Verde, vencida por 1 a 0 pelos mato-grossenses.

Tite, técnico do Corinthians
Daniel Augusto Jr./Agência Corinthians
Tite, técnico do Corinthians

"Passamos por cima de erros crassos de arbitragem no primeiro jogo. Não dá para ter Copa do Brasil sem comunicação e sem árbitro de fundo. Não dá. São 180 minutos em que um erro pode ser decisivo. O gol lá foi ilegal", disse o treinador, referindo-se ao lance no qual Misael matou a bola com a mão antes de balançar a rede.

A jogada não incomodou tanto o gaúcho quanto as expulsões de Emerson - envolvido em discussão com Zé Roberto, também expulso - e Romarinho. "O gol foi ilegal, mas difícil de ser observado. Os erros maiores foram nas expulsões, na do Luverdense também. A do Romarinho, então, foi um absurdo."

Terminado o desabafo, Tite pôde avaliar o jogo de volta. Com muito mais disposição do que havia exibido uma semana antes, o Corinthians criou bastante no primeiro tempo e, mesmo levando sustos em alguns contra-ataques, conseguiu os gols de que precisava. Na etapa final, bastou administrar.

"O time deles se abriu um pouco, tivemos cinco ou seis oportunidades no primeiro tempo. Podia ter tomado um, mas iria fazer. No segundo tempo, a gente foi mais conservador, ficou com as linhas de marcação mais baixas para puxar contra-ataques", comentou o treinador.

Maratona de jogos
O importante era espantar a zebra armada na semana anterior, com a derrota por 1 a 0 para o Luverdense. O Corinthians evitou a crise e agora toma fôlego para a sequência da maratona. A equipe do Parque São Jorge teve uma semana livre pela última vez entre 21 e 28 de julho, datas nas quais enfrentou Atlético-PR e São Paulo. Foi um mês inteiro com jogos de quarta e domingo, e a programação é exatamente a mesma para setembro, o que gera preocupações.

Alexandre Pato, atacante do Corinthians
Djalma Vassão/Gazeta Press
Alexandre Pato, atacante do Corinthians

"Alguns jogadores não têm condição de manter intensidade e qualidade técnica com essa sequência. E não é problema físico, é característica física do atleta. Você viaja, joga na quarta e no domingo e acaba estourando. O Fábio Mahseredjian vai precisar de muita sabedoria", disse Tite, referindo-se a seu preparador físico.

Nas últimas semanas, o treinador perdeu Guilherme e Renato Augusto por lesão. Ajustar a carga de treinos e preservar jogadores quando os exames acusarem um desgaste maior será necessário na prevenção de novos problemas físicos. Reforços são vistos com bons olhos.

"Vamos precisar de um plantel maior", afirmou o gaúcho, que tinha os garotos Léo e Paulo Victor como únicas opções ofensivas no banco na última quarta - Romarinho e Emerson estavam suspensos. "Daqui a pouco, é importante repor algumas peças de velocidade."

Até o fim do próximo mês, a única possível quarta de folga era o dia 25 de setembro. Será provavelmente nessa data, no entanto, que começará a disputa com o Grêmio por uma vaga nas semifinais da Copa do Brasil.

"O jeito é a gente trabalhar bastante. Tem sempre uma preparação grande para a gente demonstrar no domingo, na quarta, na hora do show, do espetáculo, no campo, o trabalho duro que todos vêm fazendo", afirmou Alexandre Pato.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.