Atacante é o vice-artilheiro do Corinthians no ano, com 12 gols, mas chances desperdiçadas pelo camisa 7 ainda geram críticas e desconfiança de grande parte da torcida

Pato abriu o placar na vitória do Corinthians sobre a Luverdense
Djalma Vassão/Gazeta Press
Pato abriu o placar na vitória do Corinthians sobre a Luverdense

Principal contratação do Corinthians para a temporada, o atacante Alexandre Pato é o vice-artilheiro do time no ano, com 12 gols. Apesar disso, as chances desperdiçadas pelo camisa 7 ainda geram críticas e desconfiança de grande parte da Fiel. Ciente de que precisa melhorar, o jogador pede compreensão aos torcedores e diz absorver as palavras vindas da arquibancada.

Acha que Pato tem lugar entre os titulares do Corinthians? Deixe seu comentário

"É normal sentir a pressão no Corinthians. É um grande clube que acabou de ganhar uma Libertadores e um Mundial. Mas as pessoas tem que entender, ver o lado do jogador. Tem semana que a gente trabalha duro e é dedicado, mas na hora do jogo não dá certo. Você chuta e a bola não entra", disse o atacante em participação no programa Os Donos da Bola , da TV Bandeirantes .

O grande receio da torcida quando o clube anunciou a chegada de Pato por R$ 40 milhões era o histórico de lesões do jogador em seus seis anos de Milan. Apesar disso, o atacante participou de 42 das 51 partidas corintianas do ano e quer mais.

"Tive um ano e meio muito difícil no Milan, com lesão atrás de lesão que não me deixavam jogar. No Corinthians, tive uma sequência boa. Dei sorte de chegar a um clube muito grande e encontrar ótimos profissionais. Só tenho a agradecer ao pessoal da fisioterapia, tenho aprendido muito com eles. Sou muito jovem, vou completar 24 anos no sábado. Ainda tenho muito aprender e eu quero aprender", relatou o jogador.

"Quando eu recebo uma crítica, tento saber por que fui criticado. A crítica serve sempre para eu melhorar e evoluir, chegar no jogo e não repetir o erro", completou Pato.

Apesar disso, o camisa 7 também é visto com certa desconfiança pelo técnico Tite. Durante toda a temporada o jogador revezou entre os titulares e o banco de reservas - a ausência de Emerson Sheik e Romarinho, suspensos, permitiu que ele iniciasse o duelo desta quarta no time inicial. Bem fisicamente, ele diz estar preparado para, finalmente, embalar boa sequência dentro de campo.

"Estou bem desde janeiro, então vai depender do professor. Estou ali e quero jogar. Todos querem jogar, ter uma sequência, então vai depender dele (Tite). Se ele quiser, vou estar ali, pronto para dar o meu melhor em campo", concluiu o atleta.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.