Obrigação de avançar é toda do time de Tite, que tem vexame recente fresco na memória

Tolima forçou aposentadoria de Ronaldo
AP
Tolima forçou aposentadoria de Ronaldo

Entre todos os resultados negativos de Tite no comando do Corinthians nos últimos três anos, nenhum foi tão vexatório quanto o do seu primeiro mata-mata, contra o Tolima, na Libertadores de 2011. O técnico tinha apenas quatro meses no clube, mas aquela derrota marcou.

Deixe seu comentário para esta notícia

Ele teve seu cargo no clube ameaçado pela pressão da torcida e de conselheiros. Foi mantido. Nesta quarta-feira, após títulos e reconhecimento, Tite e o Corinthians revisitam a possibilidade de trauma. Nada que não a classificação contra o Luverdense, da Série C, será tolerado por torcedores. 

Leia também:  Atrás no placar, Corinthians recebe Luverdense para evitar vexame e crise

"É verdade, perdemos para o Tolima. A carne queimou, e o time foi campeão do mundo depois disso. Perdeu para o Luverdense? Perdeu. Escondeu que jogou mal? Não. Eu tinha todo o direito de questionar a arbitragem lá e não questionei. O time perdeu e tem condição de reverter", disse Tite, confiante na classificação corintiana. Derrotado por 1 a 0 no jogo de ida, o time paulista precisa de uma vitória por dois gols de diferença para se classificar. 

Leia também: Com respeito ao rival, Tite enfatiza responsabilidade do Corinthians 

Tite adotou discurso de respeito ao Luverdense, que faz boa campanha na Série C e tem boas chances de conseguir o acesso para a segunda divisão nacional em 2014. Mas não esconde que a responsabilidade e obrigação de sucesso é toda do Corinthians. 

"A grandeza do Corinthians se traduz na sua história. É o Corinthians o favorito a passar, pelo investimento, por tudo o que você possa colocar, mas são 11 contra 11 dentro do campo, com um técnico trabalhando do outro lado. A gente respeita, mas assume o favoritismo e a responsabilidade", disse o técnico corintiano na véspera do confronto. 

O momento conturbado do Corinthians, que tem um dos piores ataques do Brasileirão, mas uma das melhores defesas, colocam em xeque o equilíbrio do trabalho de Tite. Uma eliminação para o Luverdense piora o quadro e o técnico reconhece que essa possibilidade não atenua sua situação delicada mesmo com os títulos das últimas temporadas. "O passado não retira a responsabilidade do presente", disse Tite.

Na Copa do Brasil o Corinthians nunca teve um vexame contra times de divisões inferiores. Esteve perto em 2005, depois da saída de Tite na sua primeira passagem, quando com Daniel Passarela no comando sofreu 3 a 0 do Cianorte no jogo de ida. Na volta fez 5 a 1 e se classificou. 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.