Único gol da partida foi marcado aos 37 da segunda etapa pelo veterano atacante, que tem passagens por Barcelona e Manchester City

Geovanni em ação na vitória do Bragantino sobre a Chapecoense
Luís Moura/Gazeta Press
Geovanni em ação na vitória do Bragantino sobre a Chapecoense

O desafio do Bragantino não era nada fácil pela 17ª rodada da Série B do Campeonato Brasileiro. O time paulista encarou a vice-líder Chapecoense no estádio Nabib Abi Chedid neste sábado, aproveitou a vantagem numérica após a expulsão de Athos e segurou a vitória por 1 a 0 para ver o G-4 cada vez mais próximo.

O único gol da partida foi anotado aos 37 minutos do primeiro tempo e em grande estilo. O veterano Geovanni, ex-Barcelona e Manchester City, cobrou falta com perfeição e levou o time do interior de São Paulo aos 25 pontos na nona colocação. Já os alviverdes param com 36 e, com um jogo a menos, se mantém na vice-liderança.

Na próxima rodada, a 18ª da competição, a Chapecoense retorna a Santa Catarina para encarar o Icasa. O duelo entre os alviverdes está marcado para as 16h20 (de Brasília) de sábado e terá como palco a Arena Condá, em Chapecó. No mesmo dia e horário, o Bragantino recebe o Paysandu, novamente em Bragança Paulista.

O jogo
Como se tornou rotina na Série B, a Chape conseguiu prender a posse de bola e dominou os donos da casa. Apesar do controle, o time catarinense não conseguia concluir a gol com qualidade e permitiu que os paulistas reagissem na partida. Somente os 35 minutos, o confronto começou a ter o roteiro desenhado, quando o meia Athos cometeu falta por trás e recebeu cartão amarelo.

Dois minutos depois, nova falta perigosa para o Bragantino na entrada da área e o experiente Geovanni foi para a cobrança. Conhecido pela qualidade nas bolas paradas, tendo decidido a Copa do Brasil de 2000 para o Cruzeiro com gol de falta, o meia caprichou na batida e deixou o goleiro Nivaldo estático observando a bola morrer no canto direito.

Para aumentar o prejuízo do Verdão do Oeste, Athos dividiu pelo alto, usou a mão para desviar e foi flagrado pelo árbitro Marcelo de Lima Henrique, que aplicou o cartão vermelho. O técnico Gilmar dal Pozzo, então, teve de mexer na equipe para a etapa complementar e lançou os atacantes Soares e Caion nas vagas de Bruno Rangel e Danilinho.

Aos 17 minutos, mesmo com um a menos, os visitantes criaram a primeira oportunidade de perigo. O zagueiro Rafael ajeitou para o meio da área e encontrou Caion. O centroavante dominou e girou com muito estilo para bater de voleio e mandar à direita do goleiro Leandro Santos.

A resposta do Massa Bruta saiu no lance seguinte, com enfiada de Geovanni para Lincom. O atacante grandalhão escapou da marcação e bateu cruzado para grande defesa de Nivaldo. A Chapecoense voltou a incomodar somente aos 37 minutos, quando Soares cruzou e Caion subiu sozinho para cabecear com perigo.

Os minutos finais foram todos do Bragantino. Primeiro o lateral direito Diego Macedo recebeu de Lincom em velocidade pela ponta direita e devolveu na medida para o camisa 9 concluir para o gol vazio. O centroavante pegou mal na bola e mandou por cima. Na sequência, o próprio Lincom fez grande jogada pela esquerda, chegou à linha de fundo e rolou para Dudu, também sem goleiro, se atrapalhar e dar uma de zagueiro. O placar, no entanto, seguiu favorável aos paulistas.

FICHA TÉCNICA
BRAGANTINO 1 X 0 CHAPECOENSE

Local: Estádio Nabi Abi Chedid, em Bragança Paulista (SP)
Data: 24 de agosto de 2013 (sábado)
Horário: 16h20 (de Brasília)
Árbitro: Marcelo de Lima Henrique (RJ)
Assistentes: Janette Mara Arcanjo (MG) e Marconi Helbert Vieira (MG)
Cartões amarelos: Elias, Carlinhos e Geovanni (Bragantino); Danilinho, Athos e Anderson Pico (Chapecoense)
Cartão vermelho: Athos (Chapecoense)

Gol:
BRAGANTINO: Geovanni, aos 37 minutos do primeiro tempo

BRAGANTINO: Leandro Santos; Diego Macedo, Kadu, Raphael Andrade e Léo Jaime (Franklin); Elias, Carlinhos (Dudu), Gustavo, Geovanni e Tiaguinho (Yago); Lincom
Técnico: Vágner Benazzi.

CHAPECOENSE: Nivaldo; Fabiano, André Paulino, Rafael Lima e Anderson Pico (Fabinho Gaúcho); Glaydson, Paulinho Dias, Danilinho (Caion) e Athos; Fabinho Alves e Bruno Rangel (Soares)
Técnico: Gilmar Dal Pozzo.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.