Estreia com gol não alivia a tristeza de Carlos Alberto na Portuguesa

Por Gazeta |

compartilhe

Tamanho do texto

Meia fez seu primeiro jogo pelo clube paulista na derrota por 2 a 1 diante do Bahia, pela Copa Sul-Americana

Em menos de uma semana, Carlos Alberto deixou de ser última opção no Atlético-PR para ser o cérebro do meio de campo da Portuguesa. O meio campista foi apresentado na última segunda-feira e na quinta já estreou pela Lusa na Copa Sul-americana marcando o único gol paulista na derrota para o Bahia por 2 a 1.

Os nordestinos abriram o placar no Canindé ainda no primeiro tempo, em grande jogada do atacante Wallyson. Para a etapa complementar, o técnico Guto Ferreira sacou o lateral esquerda Magal para a entrada do atacante Bergson. E a estratégia de atirar o time para cima dos tricolores funcionou aos 15 minutos, quando Carlos Alberto pegou rebote após lindo lance de Cañete e deixou tudo igual.

Canindé vazio resgata clima de várzea e 'romantismo' na Copa Sul-Americana

"Eu me movimentei bem e tudo acabou dando certo: conseguimos empatar, mas infelizmente faltou segurar o resultado dentro de casa. Quem acompanha minha carreira sabe que sempre apareço como surpresa, não é novidade. Se tiver que analisar, penso que estrear com gol é bom, mas estou triste por ter saído sem a vitória", lamentou o jogador antes de deixar o estádio.

Carlos Alberto iniciou a partida com boa movimentação, buscando passes rápidos e inversões de jogada. Mas no final dos dois tempos caiu de produção devido ao longo tempo sem atuar - emplacou sequência somente no Campeonato Paulista pelo Mogi Mirim - e sentiu na pele a sina da Lusa na temporada em levar gols no minutos finais ao ver Obina cabecear para as redes de Gledson aos 45 da etapa complementar.

"Foi um jogo muito travado, não conseguimos manter a posse de bola. Temos tomado vários gols no finalzinho e isso tem que ser melhorado. Foi o primeiro jogo de alguns meninos, então falta experiência, qualidade. Tomamos o gol no final e não é só o torcedor que fica preocupado, jogadores também ficam pois não é normal", lamentou.

Motivado a ajudar os companheiros a encerrar a série de três jogos sem vitória no ano, Carlos Alberto quer ver o time dedicado para encarar o Atlético-MG na volta ao Campeonato Brasileiro. "Confio nos jogadores e agora é hora de levantar a cabeça. Somos todos profissionais e temos que enfrentá-los de igual para igual", projetou o meia, sobre o duelo de domingo às 16 horas (de Brasília) na Arena Independência.

Leia tudo sobre: genetcopa sul-americanaportuguesalusacarlos albertoestreiagolbahiameia

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas