Na Copa Sul-Americana, equipe de Campinas primeiro torneio internacional em sua história de 113 anos; catarinenses voltam após 21 anos

William é o artilheiro do Brasileirão e agora irá ajudar Ponte na Copa Sul-Americana
Denny Cesare/Gazeta Press
William é o artilheiro do Brasileirão e agora irá ajudar Ponte na Copa Sul-Americana

Márcio della Volpe, presidente da Ponte Preta , nunca escondeu a vontade de ver o time eliminado da Copa do Brasil para poder disputar a Copa Sul-Americana, primeiro torneio internacional da história de 113 anos do clube. E nesta quarta-feira a equipe começa a caminhada pelo título continental diante do Criciúma , às 21h50 (de Brasília) desta quarta-feira, no Heriberto Hulse.

Apesar de contar com apenas equipes brasileiras nesta segunda fase, o jogo da Sul-Americana já promete clima especial para os campineiros. Isso porque a torcida rival tem comparecido em peso aos jogos do time e quer matar a saudade de competições internacionais - em 1992 o clube disputou a Copa Libertadores.

Para montar a equipe que enfrenta a Ponte, o técnico Oswaldo Alvarez tem quebrado a cabeça, já que não quer deixar o time desgastado para a luta contra o rebaixamento do Campeonato Brasileiro. As únicas certezas do treinador estão na estreia do goleiro Galatto e na promoção do meia Morais ao titulares.

"Será minha primeira partida pelo Criciúma, então vamos concentrar para fazer um bom jogo. O momento é delicado, já passei por isso em outras equipes, mas temos muita união no grupo. Vamos nos ajudar dentro de campo que vamos sair dessa situação", afirmou Galatto, apostando que uma vitória na Sul-americana pode iniciar uma reação no Brasileirão.

Se Vadão ainda não definiu quem entrará em campo, Paulo César Carpegiani já esboçou a Ponte Preta para esta quarta. A tendência é que atue com um esquema com três zagueiros: Roberto; César, Betão e Diego Sacoman; Régis, Magal, Fernando Bob, Chiquinho e Uendel; Rildo e Dennis.

Possível estreante, o recém-contratado Betão elogiou o trabalho de Carpegiani e espera ajudar os companheiros a, assim como o Criciúma, utilizar o confronto internacional para embalar na Série A. "Conheço ele, sei como pensa e o que espera de mim. Então estou certo que vamos fazer o melhor. Precisamos ter mais atenção, mais conversa, um tentando ajudar o outro. Sou um atleta que fala bastante com os colegas e vou tentar auxiliar orientando", projetou o zagueiro.

O confronto de volta entre as equipes está marcado para as 21h50 da próxima terça-feira, no Moisés Lucarelli, em Campinas. Quem levar a melhor encara o vencedor de Colo Colo-CHI e Deportivo Pasto-COL.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.