Autuori reclama de estádio, que teve briga de torcidas brigam antes de Fla x SP

Por Gazeta |

compartilhe

Tamanho do texto

"O gramado deste estádio já está nesta situação? As pessoas que têm de tomar decisão precisam de força e coragem", disse o treinador do São Paulo

O estádio Mané Garrincha foi alvo de críticas na tarde deste domingo, depois do empate por 0 a 0 entre São Paulo e Flamengo, pelo Campeonato Brasileiro. O técnico são-paulino Paulo Autuori reclamou das condições de trabalho na arena. Além disso, antes de a bola rolar, torcedores dos dois times entraram em confronto nas ruas de acesso ao local.

Confira classificação, tabela de jogos e artilharia do Campeonato Brasileiro

Um flamenguista, inclusive, caiu no meio da briga e foi bastante atingido por um grupo de são-paulinos que o cercou. A situação só foi tranquilizada no momento em que a cavalaria da polícia chegou ao local e afastou os tricolores.

Leia mais: Jadson perde pênalti no fim e São Paulo empata com o Flamengo

O jogo foi disputado no Mané Garrincha, em Brasília, por decisão do Flamengo, que era o mandante no compromisso. Sem saber do problema na área externa, Autuori reservou suas críticas ao que viu dentro do estádio.

"Tenho apenas de contestar algumas coisas que estão acontecendo e que são fatos. O gramado deste estádio já está nesta situação? As pessoas que têm de tomar decisão precisam de força e coragem. Os profissionais dos bancos do São Paulo e do Flamengo não conseguiam ver o jogo no campo todo", reclamou.

O treinador lembrou que o local foi utilizado durante a Copa das Confederações e avisou que os problemas precisam ser resolvidos para a Copa do Mundo de 2014. "Isso tem de ser falado, porque é a realidade. Esta é a oportunidade de o Brasil mostrar organização e atrair turismo. Falam do padrão Fifa, mas está na hora de ver o padrão CBF também nessas cobranças", concluiu.

Leia tudo sobre: são paulobrasileirao

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas