Os laterais Weldinho e Jefferson, o zagueiro Maurício e o volante William Magrão são quatro dos reforços da equipe de Lisboa, que vem de sua pior campanha neste século

Weldinho apresentado no estádio José de Alvalade
Reuters
Weldinho apresentado no estádio José de Alvalade

A campanha do Sporting no Campeonato Português da temporada passada, com a sétima colocação, foi tão ruim que serve de alento para a torcida. Afinal, é difícil ficar pior. A fim de confirmar tal expectativa otimista, a diretoria foi às compras. O Brasil marca forte presença na lista de reforços, e um deles acredita que a equipe tem muito a oferecer em 2013/14.

“O Sporting é um dos maiores clubes da Europa e se reforçou para a temporada”, disse ao iG o lateral direito Weldinho, ex-Corinthians e Palmeiras e um dos quatro brasileiros que desembarcaram no clube. “O objetivo do grupo é recolocar o Sporting no caminho do sucesso”, atesta o lateral.

Campeonato Português está repleto de caras novas, mas favoritos não mudam

Além de Weldinho, chegaram o lateral esquerdo Jefferson, que fez boa temporada pelo Estoril, o volante William Magrão, que estava no Figueirense, e o zagueiro Maurício, proveniente do Sport. Os quatro juntam-se ao goleiro Marcelo Boeck, que chegou ao Sporting em 2011 e pode virar titular caso o titular Rui Patrício seja negociado.

Leia mais notícias sobre o Sporting Clube de Portugal

Campeão da Libertadores com o Corinthians, Weldinho defendeu o Palmeiras no primeiro semestre de 2013. A chegada ao Sporting por empréstimo anima o jogador, que não pretende voltar tão cedo ao Brasil. “A minha intenção é permanecer em Portugal. Vou dar o máximo nos treinos e nos jogos para que isso aconteça”.

Zagueiro Maurício, que já defendeu o Palmeiras e estava no Sport, vai reforçar o Sporting
Reprodução/jornal Record
Zagueiro Maurício, que já defendeu o Palmeiras e estava no Sport, vai reforçar o Sporting

E o jogador não poderia encontrar condições mais favoráveis em Lisboa. Indicado pelo técnico Leonardo Jardim, Weldinho viu a concorrência diminuir com a venda de Miguel Lopes para o Lyon. “O elenco tem muita qualidade, e quem quiser ser titular vai ter que trabalhar muito. Estou me dedicando ao máximo e procurando me adaptar ao jeito que o treinador gosta que nos apresentemos em campo”.

A adaptação ao futebol português, segundo ele, será gradual. “Há uma grande diferença (em relação ao Brasil), o jogo é mais intenso e mais rápido. Com a orientação do treinador, vou me adaptar o mais rápido possível”.

E o ambiente parece propício para uma boa adaptação. “Acredito que o processo será facilitado, a língua é a mesma e temos muitos brasileiros no grupo, como o Magrão e o Jefferson; além do Boeck que há muito tempo joga aqui no clube”.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.