Jogador de 38 anos se reuniu com a cúpula do Santos para definir mudança de posição: "Era uma vontade muito grande", disse o jogador

Léo no treino do Santos: da lateral para o meio
Ricardo Saibun/Divulgação Santos FC
Léo no treino do Santos: da lateral para o meio

Aos 38 anos e com contrato até o fim deste ano com o Santos , Léo resolver dedicar os momentos finais de sua carreira para atuar em outra posição. Em reunião com a cúpula do clube nesta quinta-feira, ficou decidido que o lateral-esquerdo de origem agora será opção para o meio de campo.

Comente esta notícia com outros torcedores

"Tive uma reunião com o presidente (Luis Álvaro de Oliveira Ribeiro), os diretores, com o Zinho (gerente de futebol) e com o Claudinei (Oliveira, técnico). Era uma coisa que já estava querendo há muito tempo e essa decisão tomei com eles. Era uma vontade muito grande que eu tinha de ir para o meio de campo. Não vou jogar mais como lateral. Quero ir para o meio, pois sei que posso produzir lá", destacou Léo.

Migrar para o meio de campo é algo comum entre laterais que sempre se destacaram ofensivamente durante a carreira, mas que ao fim dela não demostram o mesmo pique para apoiar o ataque e recompor rapidamente a defesa. Paulo Baier (Atlético-PR), Felipe (Fluminense) e Zé Roberto (Grêmio) são exemplos dentro do Campeonato Brasileiro deste ano de jogadores que fizeram essa opção.

Claudinei nega pressão no Santos, mas quer encerrar a série incômoda

Léo lembrou que o chileno Mena e o jovem Emerson Palmieri têm mostrado um bom rendimento e, por esta razão, merecem a chance de disputar a titularidade no setor. "Joguei muito tempo ali, você cria uma identidade. Para mim é uma decisão severa, mas é o momento de você passar a responsabilidade para a o Mena e o Emerson assumirem essa responsabilidade", comentou.

Indagado se a mudança para o meio de campo teria algum tipo de influência na sua aposentadoria dos gramados, Léo descartou essa possibilidade. "Não tem nenhum tipo de influência, pois como falei, era uma decisão que estava amadurecendo e já tinha em mente. Chega uma hora em que você precisa tomar essa decisão, não pode ficar em cima do muro. Vou me dedicar nessa nova função. Estou aqui para ajudar", encerrou.

No 4-4-2 que tem sido utilizado pelo técnico Claudinei Oliveira, Cícero e Montillo são os jogadores de meio mais próximos dos atacantes Neílton e Willian José.


* Com Gazeta

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.