Ex-presidente do Corinthians disse que a administração de Marco Polo del Nero na FPF está uma "desgraça"

Andrés Sanchez, ex-presidente do Corinthians
Futura Press
Andrés Sanchez, ex-presidente do Corinthians

Enquanto a Arena Corinthians se aproxima cada vez mais da data de inauguração, o responsável pelas obras do estádio Andrés Sanchez, resolveu opinar sobre o momento atual do rival São Paulo e da política nos bastidores do futebol brasileiro.

Deixe o seu recado e comente esta notícia com outros torcedores

Rebaixado em 2007 ao assumir o Corinthians já na reta final do Campeonato Brasileiro após a saída de Alberto Dualib, Andrés acredita que o Tricolor tem condições de escapar da degola nesta temporada. O ex-mandatário, no entanto, lembra que também tinha confiança que os alvinegros não cairiam para a Série B.

Veja a tabela de jogos e a classificação do Campeonato Brasileiro

"No futebol você não cai no mesmo ano, já vem de muitos anos com dificuldades. O São Paulo vem há alguns anos sem ganhar títulos de expressão, mas acho que tem estrutura boa e condição forte financeiramente para se recuperar. Naquela época eu também achava que não cairia, mas acabou acontecendo", disse Andrés no programa Mesa Redonda, da TV Gazeta. Já sobre a Confederação Brasileira de Futebol, Andrés elogiou o início de trabalho de José Maria Marin, que teve de assumir a entidade em momento semelhante, com a saída de Ricardo Teixeira. De acordo com o ex-diretor de seleções, o atual presidente só peca por permitir espaço demais a Marco Polo del Nero, mandatário da Federação Paulista de Futebol (FPF) e vice-presidente da CBF.

"O Marin assumiu há pouco tempo, com muita coisa rolando. Penso que está fazendo um bom trabalho, mas está deixando o Marco Polo se meter muito. Ele na Federação Paulista começou bem, mas agora a administração está uma desgraça, os times do interior estão acabando", criticou Andrés, possível candidato às eleições da CBF após a Copa do Mundo de 2014.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.