Em casa, time paulista joga melhor, controla o jogo e fica a quatro pontos da liderança

Ralf comemora seu gol na partida contra o Vitória no Pacaembu
Wagner Carmo/Inovafoto/Gazeta Press
Ralf comemora seu gol na partida contra o Vitória no Pacaembu

Romarinho manteve o bom futebol que vem apresentando, Emerson voltou bem ao time, e Alexandre Pato acordou. Com o ataque funcionando e a defesa sólida mesmo sem o titular Paulo André, não foi difícil para o Corinthians derrotar o Vitória por 2 a 0 no Estádio do Pacaembu.

Veja a classificação completa e os próximos jogos do Brasileirão

O resultado confirma o argumento de Tite de que a atuação ruim no 0 a 0 com o Santos foi uma exceção. Com três triunfos e um empate nos últimos quatro jogos, a equipe do Parque São Jorge se aproximou dos líderes, chegou aos 21 pontos e deixou o Vitória (19) para trás.

Ainda que sem Paulo André, Renato Augusto e Paolo Guerrero, o Corinthians abriu o placar logo no início, em rara bola na rede de Ralf, e foi superior em todo o primeiro tempo. A vantagem foi ainda mais clara na etapa final, no início da qual Pato marcou de pênalti. Os visitantes tiveram de sair e ofereceram chances, escapando de uma goleada.

Pato deixou o campo a cerca de 15 minutos do final, substituído por Douglas. Ao invés de vaias, como as que recebeu ao ser trocado na derrota para o Atlético-MG no mesmo Pacaembu, o atacante ganhou muitos aplausos. Um abraço forte de Tite fechou uma jornada que pode marcar a virada do camisa 7 no Timão.

O jogo
O domínio alvinegro foi rapidamente estabelecido no Pacaembu. Os três volantes escalados por Caio Júnior não conseguiam frear as jogadas do Corinthians pelos lados nem pelo meio e ficavam muito distantes da linha de atacantes formada por Maxi Biancucchi, Rômulo e Vander.

Os donos da casa começaram em cima e foram premiados logo aos seis minutos. Em jogada iniciada com bom passe de Edenílson, Romarinho cruzou e o ativo Pato brigou pelo alto. Como Cáceres cortou mal, a bola se apresentou para Ralf bater forte da entrada da área e contar com certa colaboração do goleiro Wilson para marcar um raro gol.Com Pato ativo, buscando as jogadas pessoais, e Emerson também participando de quase todos os lances, o Timão se manteve no ataque durante a maior parte do primeiro tempo. Só em uma cobrança de falta de Fabrício o Vitória chegou com perigo ao gol de Cássio.

A vantagem poderia ter sido ampliada no finalzinho da primeira etapa, quando Pato encarou a marcação e bateu rasteiro. Wilson defendeu parcialmente, viu Emerson pegar o rebote e tocou no pé do atacante, que foi ao chão. A convicção de Elmo Alves Resende Cunha foi tão pequena que ele não deu simulação nem pênalti, apontando tiro de meta.

As equipes voltarão inalteradas do intervalo --- o Vitória já tinha Mansur no lugar do contundido Tarracha desde os 21 minutos do primeiro tempo. Mudou só a disposição do juiz, que apontou a marca do pênalti quando Pato conseguiu um domínio difícil, cortou Mansur e só foi parado com um toque de mão na bola. O próprio Pato bateu no canto esquerdo de Wilson, que pulou para o outro lado.

Caio Júnior, que já havia passado Biancucchi da direita para a esquerda, buscou o ataque trocando o volante Michel pelo meia Renato Cajá. O time visitante deu espaço ao Corinthians e esteve perto de levar mais gols. Wilson fez duas grandes defesas em chutes de Romarinho, Emerson também perdeu uma boa chance, e o Alvinegro --- que contou com duas ótimas intervenções no finalzinho --- contentou-se com mais uma vitória sólida.

FICHA TÉCNICA -  CORINTHIANS 2 x 0 VITÓRIA

Local: Pacaembu, em São Paulo (SP)
Data: 11 de agosto de 2013 (domingo)
Horário: 16h (de Brasília)
Árbitro: Elmo Alves Resende Cunha (GO)
Assistentes: Guilherme Dias Camilo (MG) e Bruno Boschilia (PR)
Público: 25.603 pagantes
Renda: R$ 849.836,00
Cartões amarelos: Emerson (Corinthians); Michel, Victor Ramos (Vitória)

Gols: Ralf, aos seis minutos do primeiro tempo, e Alexandre Pato, aos seis minutos do segundo tempo

CORINTHIANS: Cássio; Edenílson, Gil, Felipe e Fábio Santos; Ralf e Guilherme; Romarinho (Ibson), Danilo e Emerson (Léo); Alexandre Pato (Douglas)
Técnico: Tite

VITÓRIA: Wilson; Gabriel Paulista, Victor Ramos (Luiz Alberto), Fabrício e Tarracha (Mansur); Michel (Renato Cajá), Cáceres e Camacho; Maxi Biancucchi, Rômulo e Vander
Técnico: Caio Júnior

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.