Meia-atacante visitou a Cidade do Galo nesta sexta-feira e demonstrou carinho pelo clube mineiro antes de ir para a Ucrânia

Bernard se emociona ao se despedir do Atlético-MG
Ramon Bitencourt/Gazeta Press
Bernard se emociona ao se despedir do Atlético-MG

O meia-atacante Bernard esteve nesta sexta-feira na Cidade do Galo para se despedir dos companheiros, da torcida e do clube que o projetou  para o futebol mundial. Bernard foi vendido para o Shakhtar Donetsk por 25 milhões de euros (R$ 77 milhões) e não conseguiu conter as lagrimas na última entrevista antes de seguir para o leste europeu.

Comente esta notícia com outros torcedores

"O choro tem duas partes. Tem a parte da felicidade, de ter dado para uma equipe como o Atlético-MG um título tão grande como a Libertadores. E tem o lado da tristeza, que, querendo ou não, eu não desejava sair. Mesmo a última palavra sendo minha, eu não queria ir. Infelizmente, porque, se dependesse de mim, como eu disse antes e digo novamente, eu queria ficar aqui", disse Bernard, que deixa claro que a despedida é apenas um até logo.

"O até logo não é da boca para fora, é sincero e verdadeiro, porque cheguei neste clube como um garoto e agora eu saio como um homem. Aprendi a gostar de treinar a cada dia, dos momentos dos jogos em que eu vestia a camisa. Agradeço a Deus por ter vestido esta camisa, por ter criado um amor tão grande por este clube. É somente esperar o momento certo para voltar, e tenho certeza que vai ser no momento certo", afirmou.

Kleina dá aval para saída de Wesley e vê cinco substitutos a altura no elenco

Bernard ficou indeciso sobre ir para o Shakhtar ou aguardar uma proposta de outro clube de maior visibilidade na Europa. O atleta revela que a decisão de assinar um contrato de cinco anos só foi tomada depois de visitar a Ucrânia e ser bem recebido pelos ucranianos e conhecer a estrutura do clube.

"Tudo que conheci no Shakhtar me convenceu. Iria somente para uma visita, isso era certo, falei com meus empresários e minha família, que iria somente para uma visita, porque não queria assinar de maneira nenhuma. Mas a forma como eles me acolheram desde o momento em que cheguei, o carinho comigo me fizeram me sentir bem. Foi aí que fiz os exames, as coisas se clarearam, e eu quis assinar o contrato com o Shakhtar", explicou.

Temendo perder espaço na seleção brasileira, Bernard disse que consultou Felipão sobre a ida para a Ucrânia e recebeu conselhos que ajudaram na decisão de acertar a proposta dos ucranianos. "Não é tranquila a decisão. Eu perguntei ao Felipão, pedi um conselho, e ele disse que era para seguir meu coração. É um momento de decisão e qualquer conselho ajuda. Ele me ajudou muito na escolha. Em todo momento pude parar para pensar", concluiu.


* Com Gazeta

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.