São Paulo encerra jejuns, derrota o Benfica e conquista a Copa Eusébio

Por Gazeta |

compartilhe

Tamanho do texto

Time paulista derrota portugueses por 2 a 0, com gols de Aloísio e Rafael Tolói, e quebra série de seis jogos sem balançar as redes e 14 sem vitórias

Getty Images
Jogadores do São Paulo comemoram gol de Aloísio

Depois de uma sequência de 14 jogos sem vitórias, o São Paulo conseguiu escapar de um novo vexame neste sábado. O time paulista venceu o Benfica por 2 a 0 e encerrou o jejum que durava desde maio. Com gols marcados por Aloísio e Rafael Toloi no segundo tempo, o time conquistou a Copa Eusébio, no estádio da Luz, em Lisboa.

O triunfo em Portugal interrompe também as mais de dez horas sem marcar gols do time brasileiro. De quebra, o técnico Paulo Autuori enfim pôde comemorar uma vitória neste seu retorno ao comando do São Paulo, já que o tabu se estendia desde a gestão de Ney Franco.

O time do Morumbi não vencia desde 29 de maio, quando derrotou o Vasco da Gama, que, na época, era dirigido justamente por Autuori. Desde então, acumulou 11 derrotas e três empates, até acabar com a série negativa diante do Benfica, que fez seu primeiro jogo em casa nesta pré-temporada europeia.

O São Paulo volta a jogar na quarta-feira, quando disputará a Copa Suruga contra o Kashima Antlers, no Japão, como representante da Conmebol, por ter sido o campeão da Copa Sul-americana do ano passado.

O jogo
O Benfica quase surpreendeu o São Paulo logo no segundo minuto de jogo, quando o brasileiro Lima avançou pela esquerda da área e soltou um chute forte, acertando o travessão da meta defendida por Rogério Ceni, que não teve tempo nem de se mexer. Desde o início, o time de Lisboa se impôs em casa, forçando o recuo dos visitantes.

Na primeira vez em que foi ao ataque, aos 13, o São Paulo não assustou o adversário, pois a finalização fraca de Osvaldo se perdeu pela linha de fundo. Porém, a falta de qualidade dificultou o trabalho do Benfica, mesmo diante de um adversário apático. Aos 15 minutos, Markovic recebeu pela direita e bateu baixo, exigindo a defesa de Rogério Ceni. No rebote, Wellington afastou mal e deu de presente para Gaitán, que acertou Rafael Toloi no chute.

Getty Images
Fabrício disputa a bola com o ex-são-paulino Cortez, agora jogador do Benfica

Apesar do domínio da posse de bola, o Benfica mostrou sua pouca eficiência na frente. Já o São Paulo não percebeu a falta de qualidade técnica dos donos da casa e ficou acuado em seu sistema defensivo. Com isso, o jogo teve pouca emoção, e a torcida encarnada só voltou a se levantar nas arquibancadas aos 33 minutos. Cortez cruzou para o meio da pequena área para Lima, que dominou sozinho e bateu por cima do gol.

Pouco depois, Markovic invadiu a área e tentou uma cavadinha, mas facilitou para Rogério Ceni. No lance seguinte, Wellington perdeu na saída de bola e facilitou para Markovic tentar de novo, mas Rogério Ceni defendeu. Depois da cobrança de escanteio, Matic chutou e viu o capitão tricolor rebater mais uma vez. Antes do fim da etapa, aos 43, o São Paulo criou sua primeira chance de balançar as redes. Aloísio recebeu cruzamento e cabeceou no canto, obrigando Paulo Lopes a saltar para defender.

Divulgação/Facebook
Jogadores do São Paulo comemoram vitória sobre Benfica e título da Copa Eusébio

No intervalo, as duas equipes tiveram mudanças. Paulo Autuori colocou Maicon na vaga de Fabrício. Já no Benfica, Djuricic saiu para dar lugar a Rodrigo. A mudança parece ter surtido efeito no Tricolor, que voltou melhor depois do intervalo. Logo no começo, o goleiro português teve de deixar a meta para evitar gol de Aloísio.

Mas a segunda chance são-paulina foi fulminante. Aos seis, Jadson fez lançamento perfeito na área para Aloísio, que viu a saída do goleiro e tocou rasteiro, no canto, para acabar com um longo jejum de gols. O gol desestabilizou os donos da casa, que não conseguiam mais avançar.

Assim, o treinador Jorge Jesus fez mais três mudanças: Solejman, Ruben Amorim e Ola John entraram nas vagas de Gaitán, Enzo Pérez e Markovic. Porém, o técnico não teve tempo de ver as alterações surtindo efeito. Aos 17, depois de bola alçada na área, Rodrigo Caio desviou de cabeça para a pequena área, onde estava Rafael Toloi livre para chutar para as redes. Os portugueses pediram impedimento, em lance duvidoso, por conta do posicionamento de Cortez.

No desespero, o Benfica partiu para o ataque, mas exibiu os mesmos problemas do primeiro tempo. Lima teve chance em cobrança de falta e mandou para muito longe da meta defendida por Rogério Ceni. A partir daí, o São Paulo apenas administrou para evitar sustos até o apito final.

FICHA TÉCNICA
BENFICA 0 X 2 SÃO PAULO

Local: Estádio da Luz, em Lisboa (Portugal)
Data: 3 de agosto de 2013, sábado
Horário: 15h45 (de Brasília)
Árbitro: Duarte Gomes (de Portugal)
Assistentes: Venâncio Tomé e Pedro Garcia (ambos de Portugal)
Cartões amarelos: Matic, Luisão e Maxi Pereira (Benfica)
GOLS: SÃO PAULO: Aloísio, aos 6, e Rafael Toloi, aos 16 minutos do segundo tempo

BENFICA: Paulo Lopes; Maxi Pereira (André Almeida), Luisão, Garay e Cortez, Matic, Enzo Peréz (Ruben Amorim), Gaitán (Sulejmani) e Djuricic (Rodrigo); Markovic (Ola John) e Lima
Técnico: Jorge Jesus

SÃO PAULO: Rogério Ceni; Douglas, Rafael Toloi, Edson Silva e Reinaldo; Wellington, Rodrigo Caio, Fabrício (Maicon) e Jadson (Lucas Evangelista); Osvaldo (Silvinho) e Aloísio (Ademilson)
Técnico: Paulo Autuori

Leia tudo sobre: são paulobenficacopa eusébioigspfutebol mundialportugal

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas