Concessionária pede tempo para avaliar mudanças no Maracanã

Por Gazeta |

compartilhe

Tamanho do texto

Consórcio vai avaliar se continuará à frente do estádio após governo do Rio desistir de demolir Célio de Barros e Julio Delamare

WAGNER MEIER / Agif/Gazeta Press
Maracanã pode ter licitação cancelada

Depois da decisão do Governo do Rio de Janeiro de desistir das demolições do Estádio de Atletismo Célio de Barros e do Parque Aquático Júlio Delamare, a concessionária que administra o estádio do Maracanã pediu um tempo para avaliar as mudanças no projeto.

Comente esta notícia com outros torcedores

Por meio de comunicado oficial, o Complexo Maracanã Entretenimento S.A informou que "já está analisando o novo cenário". Pelo contrato firmado anteriormente, os dois complexos seriam demolidos, abrindo espaço para a construção de estacionamento e conjuntos comerciais, com bares, lojas e restaurantes.

Agora, o consórcio informou que uma alternativa deve ser apresentada em 20 dias para criar uma "alternativa para viabilização e continuidade da concessionária, assegurando que os equipamentos do Complexo Maracanã possam ter garantidos os investimentos para a manutenção e modernização permanente".

Além disso, o grupo ainda demonstrou sua busca por soluções para melhorar o acesso dos torcedores ao estádio. "A concessionária mantém ainda o compromisso de aprimorar sua operação para oferecer segurança e conforto aos torcedores e visitantes desses importantes patrimônios públicos do Rio de Janeiro", completou.

O consórcio, formado pela construtora Odebrecht, pelo grupo AEG e pela IMX, foi o vencedor da licitação para administrar o estádio por um período de 20 anos.

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas