Prass defende pênalti, Kardec faz dois e Palmeiras volta à liderança com goleada

Por iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

Vitória sobre o Icasa por 4 a 0, no Pacaembu, e derrota da Chapecoense recolocam equipe paulista na ponta da Série B

SÉRGIO BARZAGHI/GAZETA PRESS
Alan Kardec comemora o primeiro de seus dois gols diante do Icasa

O Palmeiras, mais uma vez, está na liderança da Série B do Brasileiro. Mas com mais dificuldade do que esperavam os quase 13 mil torcedores que enfrentaram frio no Pacaembu nesta terça-feira. Fernando Prass pegou pênalti quando o jogo estava 0 a 0, mas a festa ficou completa com direito aos primeiros gols de Alan Kardec pelo clube e show de Valdivia, saindo do banco para participar de três gols e garantir vitória por 4 a 0 sobre o Icasa.

Comente esta notícia com outros torcedores

Vítima da retranca nos primeiros minutos e falhando na defesa, o Palmeiras cedeu pênalti ao time nordestino em carrinho de Henrique sobre Juninho Potiguar. Mas, aos 22 minutos, Prass defendeu. E Vinicius converteu a penalidade a favor da equipe aos 36 minutos, sofrida por Leandro.

No segundo tempo, quando a torcida xingava Gilson Kleina por manter a formação com três volantes durante todo o confronto, Alan Kardec, esperança de gols contratada para este semestre, desencantou completando escanteio aos 32 da etapa final. Aos 40, o Mago iniciou jogada que culminou em chute de Wesley no ângulo. E o camisa 10 mostrou que é decisivo mesmo em meia hora em campo, driblando três até rolar para Alan Kardec fazer mais um, nos acréscimos.

Beneficiado pela derrota da Chapecoense para o Ceará em Fortaleza, o Palmeiras retomou a primeira posição chegando a 25 pontos, dois acima da equipe catarinense, que tem um jogo a menos. O time paulista volta a campo na sexta-feira, às 19h30 (de Brasília), de novo no Pacaembu, diante do Bragantino. Já o Icasa recebe o São Caetano em Juazeiro do Norte às 16h20 de sábado.

O jogo

Na estratégia traçada pela comissão técnica, com aval da diretoria, Valdivia ficou no banco de reservas no Pacaembu para evitar novas lesões. E o time sentiu falta do jogador mais caro do elenco. O Palmeiras enfrentou um adversário retrancado e não teve a criatividade característica do chileno para superar a marcação do Icasa.

Substituto do camisa 10, Mendieta mostrou disposição para ajudar em seu primeiro jogo como titular no clube. O paraguaio voltava até o campo de defesa para dar dinâmica à equipe promovendo toque de bola, mesmo com passes curtos. Era uma tentativa sua para ajudar a equipe, que pecava com erros de seus defensores na saída de bola.

Mas a estratégia cearense de foco defensivo logo prendeu o camisa 8, que chegou a assustar em chute da entrada da área. E o Verdão não passou de um time que jogava a bola de um lado a outro, sem encontrar meios para entrar em um campo com 11 jogadores adversários. Charles, vindo de trás, foi uma exceção em dois lances perigosos, um deles até engando a torcida ao balançar as redes pelo lado de fora.

SÉRGIO BARZAGHI/GAZETA PRESS
Fernando Prass defende pênalti contra o Icasa e comemora

Na ânsia de abrir o placar, porém, os erros apareceriam, até porque os zagueiros já falhavam em passes curtos. Até que, aos 21 minutos, Juninho foi à frente, errou cruzamento e, em suas costas, o Icasa puxou contra-ataque que culminou em carrinho de Henrique sobre Juninho Potiguar dentro da área. A arbitragem marcou pênalti.

O lance gerou intenso protesto, inclusive entre os torcedores, bem mais tensos do que quando chegaram ao estádio demonstrando certeza na vitória e na liderança da Série B do Brasileiro. Mas a equipe tinha um herói em campo. Radamés bateu forte, no canto direito de Fernando Prass, e o goleiro fez defesa em dois tempos comemorada como um gol.

Leia mais: Fernando Prass encerra 'jejum' palmeirense em defesa de pênaltis

A ação do jogador mais experiente, entretanto, não acalmou os comandados de Gilson Kleina. Com intensa movimentação, Wesley tentava ajudar Mendieta na missão de fazer a bola chegar à área do Icasa, mas os laterais, principalmente Juninho, erravam demais. Em mais um passe errado do camisa 6, Carlinhos, passando nas costas de Luis Felipe, não teve qualidade para completar contra-ataque nas redes, assim como Juninho Potiguar.

Mas o Palmeiras, mesmo sem paciência, acabou se beneficiando de erros individuais normais em um time preocupado só em defender. Primeiro, o árbitro falhou ao não dar pênalti em empurrão sofrido por Charles dentro da área. Já aos 36 minutos, Leandro, que já tinha dado trabalho com seus dribles, sofreu o pênalti. E Vinicius converteu batendo firme.

O Verdão demorou quase todo o primeiro tempo para perceber que jogadas individuais poderiam acabar com a retranca do Icasa. E Mendieta voltou a aparecer com destaque em um dos últimos lances antes do intervalo, aplicando dribles curtos em quatro adversários até o goleiro João Ricardo fazer a defesa.

Se o pênalti que Fernando Prass defendeu não acalmou o time, o lance que gerou o pênalti convertido por Vinicius pareceu dar coragem ao Verdão para cada atleta do meio-campo para frente confiar em sua qualidade e driblar alguém da multidão defensiva do Icasa em busca de um caminho para a grande área.

Com menos de um minuto de segundo tempo, Márcio Araújo foi à intermediária ofensiva e rolou para Luis Felipe passar nas costas da zaga adversária, cruzando para Vinicius desviar na pequena área. O atacante só não marcou seu segundo gol na partida porque chutou em cima do goleiro João Ricardo, mas, mais uma vez, mesmo errando, mostrou como era possível fazer gol nos cearenses.

O Icasa até assustou mais uma vez em contra-ataque explorando as falhas dos laterais de Gilson Kleina na marcação, quando Fernando Prass rebateu bem jogada de Roberto sobre Juninho, mas o Verdão passou a usar a linha de fundo, com Vinicius pela esquerda e Luis Felipe e Wesley se alternando na ponta direita. Assim, mesmo falhando nas finalizações, teve o controle do confronto.

Mendieta teve mais espaço para aparecer, comandando troca de passes e quase marcando seu gol em cobrança de falta aos 18 minutos que passou rente ao travessão. A torcida se animava, e vaiou Gilson Kleina por trocar o paraguaio por Valdivia, assim como Leandro saiu para a entrada de Ananias.

Mas o técnico não quis se arriscar. E outra substituição efetuada por ele tranquilizou o jogo. Aos 32 minutos, Valdivia deu belo passe para Alan Kardec e o Icasa afastou. Na cobrança de escanteio de Juninho, o próprio centroavante aproveitou para colocar a bola nas redes. E no fim, a torcida aplaudiu a conquista dos três pontos, possível mesmo vencendo com dificuldades. Celebrando ainda mais o chute de Wesley no ângulo, aos 40 minutos, completando mais uma jogada de Valdivia. E o Mago virou herói ao driblar três antes de rolar para Alan Kardec definir a goleada nos acréscimos.

FICHA TÉCNICA
PALMEIRAS 4 X 0 ICASA

Local: Pacaembu, em São Paulo (SP)
Data: 30 de julho de 2013, terça-feira
Horário: 21h50 (de Brasília)
Árbitro: Eduardo Tomaz de Aquino Valadão (GO)
Assistentes: Fabio Pereira (TO) e Cristhian Passos Sorence (GO)
Cartões amarelos: Henrique e Alan Kardec (Palmeiras); Luiz Otávio, Gilmak, Chapinha e Radamés (Icasa)

Gols:
PALMEIRAS: Vinicius, aos 37 minutos do primeiro tempo, e Alan Kardec, aos 32 e aos 47, e Wesley, aos 39 minutos do segundo tempo

PALMEIRAS: Fernando Prass; Luis Felipe, Vilson, Henrique e Juninho; Márcio Araújo, Charles, Wesley e Mendieta (Valdivia); Leandro e Vinicius (Alan Kardec)
Técnico: Gilson Kleina

ICASA: João Ricardo; Neilson, Luiz Otávio, Bruno Perone e Carlinhos; Da Silva, Gilmak, Radamés, Roberto (Alex William) e Chapinha (Adalgiso Pitbull); Juninho Potiguar (Leandro)
Técnico: Sidney Moraes


* Com Gazeta

Leia tudo sobre: palmeirasicasagoleadapacaembuserie bfernando prassalan kardec

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas