Grêmio e Internacional repudiam decisão de Brigada por torcida única em clássico

Por Gazeta |

compartilhe

Tamanho do texto

Brigada Militar do Rio Grande do Sul proibiu presença de torcedores do Inter no jogo do próximo domingo na Arena do Grêmio

Flickr/Grêmio
Arena do Grêmio receberá o seu primeiro Gre-Nal no domingo, mas sem torcida do Inter

As direções de Grêmio e Internacional se disseram contrárias à realização do Gre-Nal do próximo domingo apenas com gremistas na Arena. O vice de futebol do Inter, Marcelo Medeiros, considerou a decisão da Brigada Militar um retrocesso nas relações de cidadania entre as pessoas. Já o presidente gremista, Fábio Koff, se mostrou surpreso com a medida e afirmou que vai trabalhar para reverter a situação.

Começa venda de ingressos para Gre-Nal que deve ter torcida única

"Como dirigente e torcedor oriundo da arquibancada, eu fico muito triste. O Gre-Nal não é uma festa que pertence ao dono do estádio, é uma festa gaúcha. O crescimento de um clube sempre dependeu do outro. Vamos tentar uma solução contrária a esta definição. Pretendo falar com o Luigi (presidente do Inter) para revertermos esta situação", afirmou Koff, em coletiva concedida na manhã desta terça.

Tanto Fábio Koff quanto Marcelo Medeiros questionaram a impossibilidade de convivência entre as duas torcidas. Para o dirigente colorado, a Arena, por ser um estádio de alto nível, teria capacidade de poder acomodar com segurança os torcedores do Inter. "Nós partimos do pressuposto de que não possa haver convivência social entre as duas torcidas", completou Koff.

A decisão de torcida única no clássico deste domingo deve ser oficializada na tarde desta terça, em reunião da Brigada Militar com o Ministério Público, que já sinalizou que deve acatar a sugestão policial de proibir a entrada de colorados na Arena do Grêmio no próximo domingo. Será o primeiro Gre-Nal da história com torcida única.

Leia tudo sobre: grêmiointernacionalbrasileirão

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas