Lopes relata 'sacrifícios' para defender ex-diretor de futebol do São Paulo

Por Gazeta |

compartilhe

Tamanho do texto

Vice-presidente de futebol comentou sobre a saída de Adalberto Baptista

Gazeta Press
João Paulo de Jesus Lopes, vice-presidente de futebol do São Paulo

Adalberto Baptista vinha sendo cada vez mais pressionado em seus últimos dias no cargo de diretor de futebol do São Paulo. Até o telefone residencial do ex-dirigente chegou a ser divulgado em sites de torcedores, que cobravam sua demissão.

Comente esta notícia com outros torcedores

Apesar de não ter ouvido do ex-colega de departamento reclamações por conta da invasão de privacidade, o vice-presidente de futebol são-paulino, João Paulo de Jesus Lopes, citou os sacrifícios pessoais feitos por Adalberto Baptista.

"Ele prestou bons serviços e se sacrificou muito, até do ponto de vista familiar, para desempenhar suas funções. Ele se dedicou intensamente. A dificuldade que nós atravessamos não foi causada pela administração dele", afirmou o vice-presidente.

Leia mais: São Paulo nega consultar jogadores sobre gerente: “Não é Democracia Corintiana"

Mesmo com a pouca habilidade para lidar diretamente com o elenco, Adalberto Baptista era visto pelo presidente Juvenal Juvêncio como um exímio negociador, sendo responsável, inclusive, pelos acertos com jogadores como Luis Fabiano, Denilson e Paulo Henrique Ganso.

O problema é que o elenco vem sendo bastante criticado, principalmente pela maior torcida uniformizada do clube. Apesar das críticas das arquibancadas ao time, Jesus Lopes isenta o ex-dirigente de culpa na montagem do grupo.

"As contratações feitas foram muito elogiadas pela imprensa. Mas, infelizmente, como futebol não é ciência exata, você não necessariamente consegue o sucesso. O Adalberto teve o desprendimento para entender que seria conveniente sua saída, a contragosto nosso. Fizemos de tudo para que permanecesse", completou.

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas