Como o iG já havia mostrado, na partida decisiva contra o Olimpia o time mineiro contou novamente com ajuda "extra" para confirmar o título inédito

Não foi apenas a competência e determinação que levaram o Atlético-MG a conquistar seu primeiro título na Copa Libertadores, ao vencer o Olimpia por 4 a 3 na disputa de pênaltis no Mineirão. A "sorte de campeão", que já vinha acompanhando o time mineiro ao longo do torneio continental, voltou a dar o ar da graça nesta quarta-feira, no Mineirão, diante dos paraguaios.

Ferreyra lamenta-se após escorregar e perder incrível chance de gol do Olimpia no segundo tempo da final
Bruno Magalhaes/AP
Ferreyra lamenta-se após escorregar e perder incrível chance de gol do Olimpia no segundo tempo da final


Deixe seu recado e comente a notícia com outros torcedores

Na semana passada, o iG Esporte já havia listado cinco motivos para o torcedor atleticano confiar na conquista do título. E mais dois momentos ampliaram a lista de "milagres" deste título do Atlético-MG. O primeiro, foi a inacreditável escorregada do atacante Ferreyra, do Olimpia, quando o placar ainda estava 1 a 0 para o time mineiro, depois de ter inclusive driblado o goleiro Victor. Ao tentar ajeitar a bola, o atacante paraguaio escorregou e permitiu que a defesa atleticana tirasse a bola de perto.

Veja também: Gestão Kalil reergue o Atlético-MG das cinzas e põe o clube no cenário mundial

O outro momento de "sorte de campeão" aconteceu aos 40 minutos do segundo tempo. Ao tentar cavar um pênalti, o zagueiro Leonardo Silva ficou no chão reclamando, mas na jogada seguinte, livre de marcação dos jogadores do Olimpia, ele cabeceou para fazer 2 a 0 e levar a partida para a prorrogação.



    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.