Emocionado, Alexandre Kalil já sonha com o Mundial de Clubes da Fifa

Após o chute de Giménez na trave, Alexandre Kalil não conteve a emoção e chorou no gramado do Mineirão. A torcida do Atlético-MG logo reconheceu o trabalho do mandatário à frente do clube e não deixou de gritar seu nome. Durante a comemoração, o presidente revelou o que passava pela sua cabeça ao ver a taça de campeão da Libertadores ao seu lado.

Comente esta notícia com outros torcedores

"Eu não consigo parar de pensar no meu pai, esse titulo é dele, porque roubaram o titulo dele. Ele muito me ensinou o tamanho do Atlético-MG", revelou o mandatário, relembrando a gestão de Elias Kalil à frente do Galo, entre 1980 e 1985, quando o time mineiro disputou a Libertadores, mas foi eliminado pelo Flamengo.

Em 1981, o time carioca conquistou a classificação para as finais da Libertadores em um jogo de arbitragem duvidosa, realizado no Estádio Serra Dourada. Na época, o árbitro José Roberto Wright expulsou cinco jogadores do Atlético-MG e deu a vitória ao Flamengo sem que a equipe rubro-negra precisasse marcar um gol.


Durante a sua gestão, Elias Kalil adotou uma postura bem parecida com a de seu filho e não teve receio de investir no Atlético-MG. Além de montar um time que encantou o Brasil, também comprou o terreno e iniciou as obras da Cidade do Galo, considerado um dos mais modernos centros de treinamento do país.

Alexandre Kalil também foi arrojado, trouxe reforços para todos os setores do Galo, cansou de trocar os jogadores do elenco até encontrar aquilo que considerava ideal para a grandeza da equipe mineira. Na temporada passada, mesmo com um time acima da média, ainda trouxe Victor, dizendo que era o goleiro para ganhar título. A aposta deu certo.

Com o título continental, o mandatário coroa sua administração, que termina no final de 2014. O presidente sempre demonstrou seu amor pela instituição e nunca deixou de falar sobre a grandeza do Atlético-MG no cenário nacional. ‘Profeta", Alexandre Kalil também afirmou saber que o Galo seria o campeão da Libertadores.

"Nós carimbamos a Libertadores, viemos para ser campeão. Antes da estreia, eu já sabia que chegaríamos à final. Time grande é assim. É o carimbo da minha administração. Quero agradecer quem me ajudou, minha diretoria, parceiros comerciais que acreditaram neste titulo. Agora vão ouvir que eu vou para Marrocos", destacou o presidente, citando o país que sediará o Mundial Interclubes no final do ano.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.