Ex-lateral-direito de 84 anos teve uma parada cardiorrespiratória em decorrência de uma pneumonia

Djalma Santos, campeão do mundo com a seleção brasileira
Getty Images
Djalma Santos, campeão do mundo com a seleção brasileira

Djalma Santos, considerados um dos melhores laterais-direitos da história do futebol, morreu nesta terça-feira, às 19h30, aos 84 anos em decorrência de uma parada cardiorrespiratória, provocada por um quadro grave de pneumonia, informou o boletim médico do Hospital Dr. Hélio Angotti, em Uberaba (MG), onde estava internado desde 1º de julho.

Comente esta notícia com outros torcedores

Djalma apresentava um quadro de infecção respiratória, chegou a sair da Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Dr. Hélio Angotti no último dia 11, mas voltou a ter o estado de saúde comprometido. Ele respirava por aparelhos e, segundo o boletim médico divulgado antes de sua morte, o ex-jogador apresentava "comprometimento da função renal".

Nascido em 27 de fevereiro de 1927 em São Paulo, Djalma defendeu três clubes na carreira, Portuguesa, Palmeiras e Atlético Paranaense, e em todos é considerado um ídolo - nunca recebeu cartão vermelho por nenhum deles. Pela seleção brasileira, ele disputou 114 partidas (marcou três gols) e quatro Copas do Mundo, sendo campeão na Suécia-1958 e no Chile-1962 (jogou também nos Mundiais da Suíça-1954 e Inglaterra-1966).

Djalma Santos é o segundo jogador que mais vezes defendeu a Portuguesa, com 434 aparições, conquistando os torneios Rio-São Paulo, em 1952 e 1955, e Fita Azul, em 1951 e 1953. Pelo Palmeiras, é o sétimo em número de partidas disputadas, com 498, faturando o Paulista em 1959, 1963 e 1966, a Taça Brasil, nos anos de 1960 e 1967, e o Rio-São Paulo, em 1965. Despediu-se do futebol em 21 de janeiro de 1971, aos 42 anos, contra o Grêmio, em um amistoso. 



    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.