Tamanho do texto

Na reabertura do Maracanã para jogos do Brasileirão, Fluminense perdeu do Vasco neste domingo

O Fluminense perdeu seu quarto jogo seguido ao levar 3 a 1 do Vasco. E o jogo foi definido por dois erros de jogadores do Tricolor ainda no primeiro tempo. Essa é a opinião de Abel Braga, que tentou se conter durante sua entrevista coletiva após o clássico no Maracanã, mas deixou clara a irritação pela expulsão de Fred e o vacilo de Edinho no gol que abriu o placar.

Confira classificação, tabela de jogos e artilharia do Campeonato Brasileiro

O primeiro a tirar o técnico do sério foi Edinho. Aos 16 minutos, o volante interceptou cruzamento de Wendel, mas, ao tentar sair da área com a bola dominada, foi desarmado facilmente por Pedro Ken, que cruzou para Juninho Pernambucano mandar nas redes. "Dava para ter evitado o gol, era para eu ter tirado. Pensei que eu estava sozinho e o Ken foi feliz", explicou-se o meio-campista.

Veja as imagens dos jogos do Campeonato Brasileiro no final de semana:

"Não dá para pensar", disse Abel depois do jogo. Na volta do intervalo, ele já deu entrevista irritado. "Viu o gol que tomei?", perguntou. "São falhas pontuais que não existem. Tenta botar a bola pela lateral, chutar longo, meter no Fred. Novamente tomamos um gol fácil desses, oferecemos o gol aos adversários", reclamou.

O treinador avalia que o vacilo de Edinho atrapalhou a atuação convincente de seu time. "Começamos bem e tomamos 1 a 0 levando um gol que oferecemos. Aí começa o nervosismo. Essa é a tônica dos jogos do Fluminense", lamentou o treinador, que, aos 25 minutos, teve mais uma razão para se irritar.

Irritado desde um dos primeiros lances do jogo, quando Jomar acertou a mão em seu rosto e lhe fez ter dor nos olhos, Fred deu um soco no rosto do zagueiro de 20 anos do Vasco logo após um chutão. "Virei o rosto ainda por medo do chute e o juiz me expulsou", limitou-se a declarar o centroavante, negando a clara expulsão.

Abel Braga conta que seu camisa 9 manteve o discurso quando questionado no intervalo sobre o que aconteceu. "Não vi o lance, mas ele me falou que o cotovelo bateu no rapaz. Vamos conversar sobre isso amanhã (segunda-feira) e depois", contou o treinador, admitindo, contudo, que o seu principal jogador falhou.

"Ele não foi correto. O jogo estava bom para nós e ele agiu de maneira errada, não tenho a menor dúvida. E jogar um clássico do jeito que estamos, perdendo de 1 a 0 sem o peso maior da equipe, é claro que vira uma pressão positiva para o adversário", prosseguiu.

No segundo tempo, Digão levou vermelho por falta em chance clara de gol de André quando o Fluminense pressionava, mesmo com um a menos e já perdendo por 2 a 1. Mas, na análise de Abel Braga, o destino do clássico já estava definido naquele momento graças aos erros do primeiro tempo.

"As expulsões foram corretas. Em um clássico, com dois expulsos e as falhas individuais que apresentamos, não temos que contestar o resultado. Poderia até ter sido de mais. Foi um resultado justo", admitiu Abel Braga.