Tamanho do texto

Time paulista perde quinto jogo seguido no seu estádio. Mineiros alcançam a vice-liderança

A crise do São Paulo foi agravada ainda mais neste sábado. No dia em que almejava uma reação no Campeonato Brasileiro, o time do Morumbi levou três gols de Luan, perdeu por 3 a 0 para o Cruzeiro e se aproximou da zona de rebaixamento, ouvindo os gritos de "olé" da própria torcida presente nas arquibancadas.

O time dirigido por Paulo Autuori acumula agora dez jogos seguidos sem vitórias na temporada, fazendo parte da torcida gritar "fora, Juvenal", em forte protesto contra o presidente Juvenal Juvêncio. São sete derrotas seguidas. Nunca na história do clube o time do São Paulo atingiu uma sequência negativa tão grande. O Cruzeiro não batia o São Paulo desde 2009. 

Luan fez os três gols do Cruzeiro contra o São Paulo no Morumbi
Piervi Fonseca/Agif/Gazeta Press
Luan fez os três gols do Cruzeiro contra o São Paulo no Morumbi

Luan abriu o placar no início do segundo tempo, com um belo gol de primeira, aproveitando falha incrível da defesa. Já perto do fim do jogo, em mais duas bobeiras do sistema defensivo rival, o ex-atacante palmeirense mandou mais duas vezes para as redes.

Veja a classificação completa do Campeonato Brasileiro

Assim, com apenas oito pontos, o São Paulo está apenas um acima da zona de rebaixamento e pode se complicar ainda mais no complemento da rodada, mesmo estando com uma partida a mais que os adversários. Autuori leva novamente sua equipe ao campo na quarta-feira, contra o Internacional. Já o Cruzeiro alcançou o G-4, com 15.

Antes do jogo, torcedor pediu pelas saídas de Adalberto Baptista e Juvenal Juvêncio
Miguel Schincariol/ Gazeta Press
Antes do jogo, torcedor pediu pelas saídas de Adalberto Baptista e Juvenal Juvêncio

O jogo - Na tentativa de se aproveitar da má fase adversária, o Cruzeiro tentou surpreender os donos da casa nos primeiros instantes da partida. Logo aos dois minutos, Everton Ribeiro bateu da entrada da área e viu Rogério Ceni se esticar para espalmar. Vinicius Araújo chegou com a esperança de pegar o rebote, mas o goleiro correu para segurar.

No lance seguinte, Vinicius Araújo dominou pela direita, quase sem ângulo, e arrematou rasteiro, exigindo mais uma intervenção de Rogério Ceni. Depois de dois sustos, o São Paulo enfim respondeu, em tabela de Luis Fabiano com Clemente Rodríguez, que terminou em finalização do atacante, mas parando na zaga.

Pouco depois, Osvaldo recebeu lançamento em velocidade pela direita da área, mas Fábio mostrou atenção para abafar e ainda ficar com tiro de meta. Aos poucos, o Tricolor se ajustou para frear as investidas da Raposa, encontrando ainda alguns espaços para avançar.

Com Paulo Autuori, o meia Paulo Henrique Ganso passou a jogar mais perto da área, rendendo melhor do que na época de Ney Franco. Porém, o ex-santista ainda teve dificuldades no primeiro tempo, e quem ameaçou aos 17 minutos foi Luis Fabiano, que saiu da área, limpou a marcação pela meia-direita e arrematou forte, por cima do gol.

Torcedores usaram nariz de palhaço para protestar contra a diretoria são-paulina
MIGUEL SCHINCARIOL / Gazeta Press
Torcedores usaram nariz de palhaço para protestar contra a diretoria são-paulina

Cada vez menos presente na frente, o Cruzeiro ainda desperdiçou boa oportunidade, pois Everton Ribeiro finalizou muito fraco quando recebeu cruzamento rasteiro e em liberdade, facilitando para Rogério Ceni. Depois de ter sua reposição de bola criticada pelo diretor de futebol Adalberto Baptista durante a semana, o capitão queria caprichar ainda mais nos passes longos, mas via poucas opções desmarcadas.

Assim, o Tricolor teve de buscar com a bola nos pés, tentando trabalhar a bola. Em boa jogada pela direita, Douglas inverteu o lance para Osvaldo, que arrematou e deu trabalho a Fábio. Até o fim da etapa, nenhuma das duas equipe voltou a ter um lance efetivo de abrir o placar.

Se no primeiro tempo foi o Cruzeiro quem ameaçou no início, na etapa complementar a jogada perigosa inaugural foi do São Paulo. Douglas recebeu na direita e fez bom passe no meio para Jadson, que concluiu de primeira, mas Fábio segurou. No lance seguinte, Jadson cruzou da direita, Souza cortou errado e mandou na direção do próprio gol, mas o goleiro celeste salvou os visitantes.

No momento em que os donos da casa estavam melhores, o Cruzeiro abriu o placar. Aos seis minutos, Maike cruzou da direita e encontrou o atacante Luan completamente livre atrás da zaga. O ex-palmeirense acertou um belo chute de primeira para acertar o ângulo de Rogério Ceni, que sequer teve tempo de sair do lugar.

Com vantagem no placar e também emocional, o Cruzeiro se lançou ao ataque. Luan arrematou pela esquerda, e a bola passou ao lado da meta de Ceni. Na jogada seguinte, o ex-palmeirense tocou para Egídio, que se infiltrou na área e errou o passe para Ricardo Goulart, que aguardava livre pela direita.

Confira as imagens da rodada do Brasileirão no fim de semana:

Diante do pior cenário possível, Paulo Autuori fez sua primeira mudança, colocando Aloísio na vaga de Luis Fabiano, que foi vaiado por uma parte da torcida. Marcelo Oliveira também mudou o Cruzeiro, tirando Ricardo Goulart para a entrada de Lucca.

Sem mudança no jogo, a principal organizada tricolor começou a protestar, ainda aos 22 minutos, pedindo mais raça ao time e novos jogadores para o elenco. Em seguida, mais mudanças nos dois times. Osvaldo, que vinha subindo de produção, foi substituído por Silvinho.

Com o fim do jogo perto, o São Paulo caiu de joelhos diante do adversário. Aos 34, Luan avançou pela direita, ganhou na disputa com Clemente Rodríguez e bateu no canto, para marcar o segundo. Apenas três minutos depois, Luan aproveitou mais uma vez a falha da defesa e teve calma para escolher o canto, fazendo mais um.

FICHA TÉCNICA -  SÃO PAULO 0 X 3 CRUZEIRO

Local: Estádio do Morumbi, em São Paulo (SP)
Data: 20 de julho de 2013, sábado
Horário: 18h30 (de Brasília)
Árbitro: Héber Roberto Lopes (SC)
Assistentes: Kléber Lúcio Gil (SC) e Carlos Berkenbrock (SC)
Público: 11.675 pagantes
Renda: R$ 325.
GOLS: CRUZEIRO: Luan, aos 6, 34 e 37 minutos do segundo tempo

SÃO PAULO: Rogério Ceni; Douglas, Lúcio, Rafael Toloi e Clemente Rodríguez; Rodrigo Caio, Denilson (Roni), Jadson e Ganso; Osvaldo (Silvinho) e Luis Fabiano (Aloísio)
Técnico: Paulo Autuori

CRUZEIRO: Fábio; Mayke, Dedé, Bruno Rodrigo e Egídio; Nilton, Souza, Everton Ribeiro (Martinuccio) e Ricardo Goulart (Lucca); Luan e Vinícius Araújo
Técnico: Marcelo Oliveira