Na Recopa, Corinthians defende empate em tira-teima continental com São Paulo

Por Gazeta |

compartilhe

Tamanho do texto

Alvinegros venceram a partida partida da decisão por 2 a 1, no Morumbi

SÉRGIO BARZAGHI/GAZETA PRESS
Luis Fabiano e Paulo André no primeiro jogo da final da Recopa

Corinthians e São Paulo decidem a partir das 21h50 (de Brasília) desta quarta-feira a Recopa Sul-Americana. No tira-teima entre o último campeão da Copa Libertadores e o vencedor da Copa Sul-americana, os alvinegros jogam por um empate, vantagem obtida com um triunfo por 2 a 1 no Morumbi.

Corinthians ou São Paulo: quem vence a Recopa? Opine

No Pacaembu, o Corinthians tentará esquecer a má atuação na derrota para os reservas do Atlético-MG, no último domingo. O resultado, que impediu a equipe de Tite de se aproximar dos líderes do Campeonato Brasileiro, mostrou que jogar com o barulho da Fiel pode não ser suficiente.

O último clássico no estádio municipal também serve de lição. Na última partida antes do embarque para o Japão, em dezembro do ano passado, o time que pintaria o mundo de preto e branco duas semanas depois recebeu os reservas do São Paulo e foi derrotado por 3 a 1.

Leia mais: Com ou sem máscara, Renato Augusto garante a Tite que joga final da Recopa

"É claro que é importante jogar do lado do nosso torcedor, mas temos de saber usar isso. Fizemos dois bons jogos, ganhamos do São Paulo e do Bahia fora. Dentro de casa, acabamos perdendo para o Atlético. Vamos ter de jogar com inteligência", afirmou o volante Ralf. Inteligência é um quesito no qual o Corinthians deverá melhorar com o retorno de Danilo. Ele e Emerson estão recuperados de lesões e provavelmente serão escalados por Tite. Douglas e Renato Augusto, que também estavam fora, serão opções no banco.

Assim, completo, o Corinthians buscará um dos títulos que lhe faltam nos últimos quatro anos. Campeão do Paulista, da Copa do Brasil, do Brasileiro, da Libertadores e do Mundial desde 2009, o clube do Parque São Jorge espera acrescentar a Recopa a um dos períodos mais vitoriosos de sua história. Basta um empate.

Ao São Paulo, agora comandado por Paulo Autuori, só a vitória interessa. Pode ser pela diferença mínima, o que levaria a disputa à prorrogação, mas o objetivo é conseguir dois gols de vantagem e conquistar o título no tempo regulamentar. O problema é que o time se afundou em crise incomum para os últimos anos e já não vence há sete jogos - oito, se levado em consideração amistoso contra o Flamengo.

Leia mais: Osvaldo sonha com título da Recopa para voltar a dormir e sair de casa

A troca no comando técnico, à primeira vista, ainda não surtiu muito efeito. O sucessor de Ney Franco estreou no domingo, após três dias de trabalho, e viu a equipe ser derrotada de virada para o Vitória, apresentando em Salvador a desatenção tática de costume. O novo treinador então cobrou mais força mental a seus jogadores e disse que, neste momento, a conversa é a principal saída para reagir.Preocupado com o Campeonato Brasileiro, o capitão Rogério Ceni igualmente entende que os erros não serão corrigidos de uma hora para outra, mas aposta na motivação do clássico para voltar a vencer. "É completamente possível, são 90 minutos. A gente já venceu o Corinthians algumas vezes no Pacaembu. Há um combustível natural", falou o goleiro, que perdeu a Recopa de 2006 para o Boca Juniors e atirou a medalha de prata à torcida.

Ceni é um dos poucos titulares garantidos, pois Autuori escondeu a escalação, mantendo algumas dúvidas criadas nos últimos dias. O lateral-esquerdo Clemente Rodríguez foi punido pela Conmebol com quatro jogos de suspensão - por expulsão quando ainda estava no Boca Juniors - e aguarda resposta de pedido de efeito suspensivo. Outros quatro jogadores lutavam contra dores (o lateral direito Douglas, o zagueiro Rafael Toloi, o volante Denilson e o meia Jadson), mas já se recuperaram.

O ataque - sempre com dois homens, prometeu Autuori - deve ter Osvaldo e Luis Fabiano. O segundo, artilheiro são-paulino no ano, não atuou na estreia do comandante porque havia sido expulso na rodada anterior do Brasileiro, quando foi chamado de "pipoqueiro" por parte da torcida. Dias antes, o camisa 9 havia dito que essa fama só terminaria quando ele fosse decisivo para levantar um troféu de destaque. Como andam gritando os são-paulinos, a próxima chance "é quarta-feira".

FICHA TÉCNICA
CORINTHIANS X SÃO PAULO

Local: Pacaembu, em São Paulo (SP)
Data: 17 de julho de 2013, quarta-feira
Horário: 21h50 (de Brasília)
Árbitro: Paulo César de Oliveira (SP)
Assistentes: Márcio Santiago (MG) e Fabricio Vilarinho (GO)

CORINTHIANS: Cássio; Alessandro, Gil, Paulo André e Fábio Santos; Ralf e Guilherme; Romarinho, Danilo e Emerson; Guerrero
Técnico: Tite

SÃO PAULO: Rogério Ceni; Douglas, Lúcio, Edson Silva (Rafael Toloi) e Juan (Clemente Rodríguez); Wellington, Denilson, Jadson (Maicon) e Ganso; Osvaldo e Luis Fabiano
Técnico: Paulo Autuori

Leia tudo sobre: corinthianssao paulorecopafinalpacaembu

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas