Com o retorno de Salgueiro, Enzo Prono voltará para o banco de reservas. Já a outra substituição, agora por motivo técnico, seria Matias Gimenez por Ricardo Mazacotte

O time do Olimpia ainda é um mistério para a final desta quarta-feira, contra o Atlético-MG. Com muitas dúvidas, o técnico Ever Hugo Almeida só deverá começar a esboçar a escalação a partir dos treinamentos desta terça, mas a imprensa local já aposta em uma formação ideal, com duas novidades.

Torcida do Olimpia esgota ingressos para decisão com o Atlético-MG

A primeira delas é a volta do atacante Juan Manuel Salgueiro, quase recuperado de lesão. O jogador foi praticamente descartado pelo treinador recentemente, mas, já que é o artilheiro da equipe na Copa Libertadores da América, com cinco gols, deverá se sacrificar um pouco para a decisão.

Salgueiro comemora gol do Olimpia
Jorge Saenz/AP
Salgueiro comemora gol do Olimpia

Com o retorno de Salgueiro, Enzo Prono voltará para o banco de reservas. Já a outra substituição, agora por motivo técnico, seria Matias Gimenez por Ricardo Mazacotte - o último entrou bem entre os 11 e poderia dar mais liberdade para Alejandro Silva, um dos atletas mais habilidosos no setor.

Ever Hugo Almeida também estará de olho nos atacantes Juan Carlos Ferreyra e Arnaldo Castorino, que poderão não ter condições físicas suficientes para enfrentar o Galo. As movimentações desta segunda serão essenciais para o comandante franjeado diminuir um pouco o quebra-cabeça no elenco.

A expectativa é a de que os mais de 30 mil torcedores no Defensores Del Chaco vejam um time formado por: Martín Silva; Julio Manzur, Herminio Miranda e Salustiano Candia; Ricardo Mazacotte, Wilson Pittoni, Eduardo Aranda, Alejandro Silva e Nelson Benítez; Juan Salgueiro e Fredy Bareiro.

Paraguaios e brasileiros medirão forças a partir das 21h50 (de Brasília) desta quarta, em Assunção. Uma semana depois, será a vez dos atleticanos receberem os adversários, em estádio ainda não definido - a Conmebol confirmou o Mineirão, mas sofre resistência dos mineiros.

De acordo com o presidente Alexadre Kalil, a entidade máxima do futebol sul-americano está adotando critérios diferentes para os clubes, uma vez que o Defensores Del Chaco também não tem os 40 mil exigidos por ela como palco da final da competição, lei que vetou o Independência.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.