Segunda partida da decisão entre Atlético-MG e Olimpia será realizada no dia 24 de julho e está inicialmente marcada para o Mineirão

Atlético-MG está invicto no estádio Independência
Bruno Magalhaes/AP
Atlético-MG está invicto no estádio Independência

A CBF (Confederação Brasileira de Futebol) anunciou neste sábado que irá pedir à Conmebol (Confederação Sul-Americana de Futebol) que faça a segunda partida da final da Copa Libertadores entre Atlético-MG e Olimpia, do Paraguai, no estádio Independência. Inicialmente o jogo está marcado no Mineirão.

Acha que a final da Libertadores deve ser no Mineirão ou no Independência? Opine!

A entidade atende assim à solicitação de Alexandre Kalil, presidente atleticano. Nota assinada pelo presidente José Maria Marin diz ser um direito legítimo de o Atlético-MG receber o duelo decisivo naquele que é seu estádio.

“A CBF não quer polemizar com a Comebol, a entidade a qual é filiada e tem as melhores relações, mas sim lutar por um pleito que entende ser legítimo. Por isso, vamos exigir o direito de o Atlético Mineiro disputar o segundo jogo da final na sua casa, o Estádio Independência. Essa é uma pretensão que consideramos justa e dela não nos afastaremos”, afirmou Marin.

LEIA:  Atlético-MG pede adiamento de jogo marcado entre finais da Libertadores

O regulamento da Libertadores prevê que as partidas da decisão devem ser disputadas em estádios com capacidade mínima para 40 mil torcedores. O argumento atleticano é que o Defensores del Chaco, onde o Olimpia mandará o primeiro confronto, possui lotação inferior a este número.

“Assim como o Olimpia vai jogar na sua casa, que também não tem capacidade para 40 mil pessoas, o Atlético tem o direito de exercer o seu mando de campo. Na quarta-feira, estarei no Defensores del Chaco para torcer pelo Atlético, e estou certo de que não haverá problema algum. Pelo mesmo raciocínio, pelo cumprimento do princípio da igualdade, estarei no dia 24 de julho na casa do Atlético, no Independência”, completou o presidente da CBF.


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.