Técnico interino defende direção do Santos após polêmica com Robinho

Por Gazeta |

compartilhe

Tamanho do texto

As polêmicas declarações do atacante Robinho, criticando a postura da diretoria do Santos nas negociações para

Gazeta Press
Robinho jogou no Santos em 2010, já com Luis Alvaro na presidência do clube

As polêmicas declarações do atacante Robinho, criticando a postura da diretoria do Santos nas negociações para tentar repatriá-lo, repercutiram no treino desta sexta-feira, no CT Rei Pelé. O técnico interino da equipe praiana, Claudinei Oliveira, saiu em defesa do clube e rebateu alguns dos pontos levantados pelo Rei das Pedaladas.

Leia ainda: Robinho diz que presidente do Santos "perdeu a chance de ficar calado"

"Ele é responsável pela vida dele, mas quando a gente fala demais corre o risco de não poder dar um passo atrás, depois. Acho que não era para tanto, o clube foi elegante, chegou ao máximo, e a postura foi essa. Talvez algo que tenha saído na imprensa, que vazou, pode ter feito com que ele ficasse chateado. Mas, em nenhum momento, o Santos o chamou de mercenário ou o ofendeu de alguma forma", disse Claudinei.

O treinador também comentou a afirmação dada por Robinho, de que não negocia mais com essa direção para voltar ao Peixe, mesmo quando o seu contrato com o Milan (Itália), que vence na metade do próximo ano, se encerrar. "Se ele não negocia com essa gestão, e eu sou o técnico nessa gestão, então é uma opção dele, não posso fazer nada. Ele negocia com quem ele quiser", comentou.

Se por um lado Claudinei Oliveira se manifestou a favor da cúpula alvinegra, a diretoria do Santos ainda não se pronunciou sobre as críticas do atacante, direcionadas especialmente ao presidente Luis Álvaro de Oliveira Ribeiro, que em entrevista à Rádio Bandeirantes, apontou as pedidas do Rei das Pedaladas como os reais motivos do entrave da negociação.

Leia tudo sobre: robinhosantosbrasileirãoigsp

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas