Romário acusa Marin de organizar reunião com deputados por perdão de dívidas

Por iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Deputado federal afirma que presidente da CBF quer anistia de R$ 3 bilhões dos clubes

Divulgação / CBF
Romário e José Maria Marin foram próximos no início da gestão do presidente da CBF

O deputado Romário (PSB-RJ) usou sua página no Facebook para mais uma vez se posicionar contra a gestão de José Maria Marin na presidência da CBF. Segundo Romário, Marin esteve em Brasília na última terça-feira para se reunir com um grupo de deputados e pedir pelo perdão dívida de R$ 3 bilhões que os clubes do país têm com a União. 

"Essa dívida, para quem não acompanha o assunto, é para com o INSS, Imposto de Renda e Fundo de Garantia. Ao longo dos últimos 20 anos, os clubes de futebol não repassaram ao fisco os valores devidos. A dívida cresceu e se tornou gigantesca pelo acúmulo de juros, principalmente", disse Romário. 

Leia também: Romário defende investigação de envolvimento de Marin com a ditadura

Segundo o deputado federal, que preferiu não revelar os colegas de Congresso que estiveram com Marin, o presidente da CBF tenta conseguir a contrapartida de favores que como chefe da entidade ele garantiu aos deputados em junho. "Ou Marin já está apresentando a fatura da CBF por ter concedido centenas de ingressos a parlamentares dos jogos Copa das Confederações?", disse Romário. 

Divulgação/CBF
Marin e Henrique Alves em reunião em Brasília

O ex-jogador, eleito para seu primeiro mandato em 2010, disse ainda que Marin convidou Henrique Alves, presidente da Câmara, para ser chefe de delegação da seleção brasileira em amistoso contra Portugal, nos Estados Unidos, em setembro. Alves usou avião da FAB para levar sua família e amigos ao Rio de Janeiro para acompanhar a partida entre Brasil e Espanha.

"O que significa essa ação oportunista de José Maria Marin ao Parlamento Brasileiro, com convites e reuniões? É uma ousada tentativa para silenciar a Câmara dos Deputados com a troca de favores e benefícios?", disse Romário. 

José Maria Marin não se pronunciou sobre o caso. Ele costuma usar o site da CBF para rebater acusações de Romário. Na última vez, ao ser apontado pelo deputado como co-responsável pela prisão, tortura e morte do jornalista Vladimir Herzog, em 1975, durante a ditadura militar, Marin fez pronunciamento escrito no portal oficial da entidade. 

No site da CBF, Marin disse que "os encontros tiveram o objetivo de manifestar o agradecimento, em nome da Seleção Brasileira campeã da Copa das Confederações, pelo apoio que toda a delegação recebeu das autoridades".

Leia tudo sobre: cbfromáriojosé maria marin

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas